Sercomtel pede R$ 4,3 milhões de indenização pela ASK!

0
1

A direção da Sercomtel decidiu reassumir a empresa ASK! Companhia Nacional de Call Center, que havia montado em parceria com o Grupo Atende Bem, com sede em Novo Hamburgo (RS). A gestão da Ask! vinha sendo exercida pela empresa gaúcha que, desde dezembro do ano passado, havia assumido 51% das ações. Mas, segundo a Sercomtel, não estava sendo cumprido alguns itens do acordo de acionista por parte da Atende Bem. Portanto, a questão entre as empresas envolvidas serão resolvidas através de uma Ação Judiacial, em que está sendo requerido o aporte de R$ 4,3 milhões de indenização.

“Neste acordo de acionistas, rezava inclusive, que nós iriámos colocar em leilão as ações também da Sercomtel no prazo de 120 dias. E a Atende Bem se demonstrou uma das mais interessadas evidentemente em adquirir ASK! em leilão”, conta João Rezende, presidente da empresa de Londrina (PR), a Sercomtel. Segundo ele, foi feito um leilão no dia 18 de maio, mas não compareceu nenhum interessado. “E Atende Bem não aportou recursos de acordo como havia combinado como acionista. Ela estava demonstrando uma desmotivação, se posicionando como desinteressada pela gestão da ASK! e inclusive colocou para gente achar novos parceiros”, completou.

Para a direção da Sercomtel, havia uma série de compromisso que o ex-parceiro deveria ser feito. “Nós achamos que eles tomaram algumas medidas administrativamente erradas, no ponto de vista de reduzir o prejuízo. Hoje, a colocação deles é que a estrutura da ASK! é muito grande e que eles não têm condições de administrar. Mas, eles sabiam disso na época que assinaram o acordo de acionista.”, decepciona João Rezende
A ASK! foi criada em 2000, pela Kholbach e Linxcom. Segundo dados da Sercomtel, no ano seguinte registrou um prejuízo de R$ 5,2 milhões. Em seguida acumulou outros prejuízos: R 5,7 milhões, em 2002; depois reduziu para R$ 3,5 milhões, em 2003. E, segundo João Rezende, a perpectiva para este ano é fechar dezembro em aproximadamente R$ 1,7 milhão. De qualquer maneira, está sendo feito ajustes nos contratos para chegar a um equuilíbrio, explica ele. “Mas, a nossa intenção, na realidade, era em 18 de maio ter feito um leilão. No entanto, não se encontrou comprador”, alegou o presidente

Conforme sua informações, está sendo preservando todos os contratos com os clientes, e serão descartados os contratos que estão dando prejuízo. Quanto os 1.200 funcionários, por enquanto permanecerão em seus cargos. “Na realidade, foi feito um ajustes apenas na folha de pagamento nos níveis gerenciais. Não há nenhuma perspectiva de demissão, apenas iremos reduzir aqueles contratos que irão dar prejúizo. Já estamos chamando os clientes para rever os valores dos contratos e chegar a um acordo conforme o que está no mercado”, ressaltou. No momento a ASK! vem sendo administrada pelo diretor de participações da Sercomtel, José Mário Resende. A reportagem procurou ouvir a direção da Atende Bem, mas a ninguém quis se pronunciar a respeito.