SPCom investe em ações socioambientais

0
0


A empresa paulistana SPCom tem apostado em políticas de gestão visando virar referência em termos de sustentabilidade. A preocupação com o cuidado ambiental é constante em todas as áreas da empresa e teve início de maneira mais intensa a partir de 1999. A política dos cinco Rs – reduzir, reutilizar, reciclar, recomprar e repensar – é um dos pilares da área de Qualidade e Meio Ambiente. Depois de oito anos de trabalho, a diretoria calculou o impacto positivo das ações de responsabilidade ambiental, entre elas coleta seletiva de materiais para reciclagem, uso de papel reciclado, coleta de água da chuva, utilização consciente da luz e de outros insumos.

Desde 2002, quando os números passaram a ser mensurados, a SPCom já coletou 436.304 latas de alumínio – o equivalente a 6.513 quilogramas do metal. Como é de conhecimento geral, o alumínio é um dos materiais que mais gastam energia elétrica. Além da economia de 6.512 quilos de alumínio e 32.560 quilos de bauxitas (utilizado na fabricação das latas), a reciclagem possibilitou uma economia de energia elétrica suficiente para deixar um televisor ligado por 1.308.912 horas. Já a coleta de 28.820 quilos de papelão salvou uma área florestal de 10.087,33 m² de floresta e economizou o equivalente a 576.400 litros de água. Em relação ao plástico, derivado de petróleo altamente poluente para o meio ambiente, foram enviados à reciclagem 4.989 quilos de plástico, o que garantiu uma redução equivalente no uso do petróleo. Isso resultou numa economia de energia elétrica equivalente a um televisor ligado 24 horas por dia durante 147,86 anos e de água necessária para um banho por dia durante 13,02 anos.

Desde 2006, a SPCom também passou a utilizar papel reciclado em mais de 95% das áreas administrativas. Nesse período, foram gastos 1.861 quilos de sulfite reciclado – resultando na preservação de 651,27 m² de área florestal ou na não-derrubada de 2.326 árvores de eucalipto. Além disso, a SPCOM também vende os materiais de informática defasados. A venda de cartuchos, tonners, CPUs, teclados, entre outros, entre os meses de janeiro e março de 2007, resultou em uma quantia de R$ 3.738,88. Esse dinheiro foi doado para a Congregação Espírita Beneficente Pai Jerônimo.