SPCom se prepara para o Teleton 2005

0
1


Pelo segundo ano consecutivo, a SPCom fará todo o atendimento telefônico para as doações acima de R$ 50,00 do Teleton — campanha televisiva que arrecada recursos para a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). O programa será transmitido pelo SBT “ao vivo”, entre os dias 28 e 29 de outubro.

Para o trabalho, a empresa de callcenter mobilizará mais de 3.600 funcionários, que vão atender de forma voluntária as doações realizadas pelo 0800. A SPCom oferecerá estrutura física, organizacional e tecnológica, segurança, transporte e alimentação aos funcionários, amigos e parentes que serão voluntários para as 27 horas da maratona televisiva.

Para montar esse mutirão, a SPCom já iniciou as campanhas de mobilização internas para sensibilização de toda a equipe. Os voluntários terão contato direto com os portadores de deficiência física da AACD que comparecerão a sede da empresa em São Paulo. Além disso, terão palestras de conscientização e acesso à extensa comunicação com objetivo de motivar a participação de todos na campanha. “O objetivo dessas ações é mostrar aos nossos funcionários que, com este pequeno gesto, é possível ajudar milhares de crianças com necessidades especiais”, declara a presidente e fundadora da SPCom, Alexandra Periscinoto que também será voluntária.

Voluntariado também em TI – Para receber as ligações, o departamento de TI da SPCom desenvolveu internamente o sistema de telefonia para recebimento das doações. “Nosso sistema está integrado aos sistemas da AACD, bancos conveniados e SBT. Com essa integração é possível, por exemplo, colocar o Silvio Santos, no palco, em contato direto com o doador que estiver ao telefone”, explica o coordenador de desenvolvimento da SPCom, Denys Fehr.

Os funcionários da área de tecnologia da empresa levaram apenas uma semana para desenvolver, testar e implementar essa infra-estrutura tecnológica, elaborada especialmente para o Teleton. Trabalho que também foi voluntário. O sistema é 100% Internet em uma plataforma de código livre. Por isso, seu manuseio é simples e fácil para o usuário comum. “Durante a campanha, pessoas que nunca tiveram contato com os telefones de uma central de contact center vão precisar falar com os doadores em tempo real. Por isso, foi necessário desenvolver um sistema que fosse principalmente fácil”, completa o coordenador de TI.