Tecnologia auxilia a cobrança

0
1

O sistema financeiro descobriu que o brasileiro se esforça para quitar suas dívidas e organizou sistemas de recuperação de crédito, com maior margem de negociação. O antigo setor de cobrança foi aposentado e a tecnologia passou a auxiliar as negociações e os acordos com os clientes, sempre interessados em se manter como agentes ativos da economia. Hoje, esses métodos de recuperação de crédito são baseados em plataformas que gerenciam todos os processos de cobrança e civilizam a relação.

Empresas de tecnologia não poupam esforços na busca de soluções que dinamizem essa atividade. É o caso da SysOpen, software house que desenvolveu um software de gerenciamento pioneiro no processo de cobrança. O SysRec pode ser implantado na própria empresa ou em terceirizadas dedicadas a essa atividade (como as de cobrança e call-center). “Nos casos em que não existe ação efetiva, o índice de recuperação raramente ultrapassa os 65%. Esse número sobe para até 90% com ações bem coordenadas”, compara o consultor Luís Eduardo Benicchio.

Adotado por mais de 40 clientes em todo o país – entre bancos, financeiras e empresas de cobrança -, o SysRec controla e automatiza todos os processos referentes à recuperação dos ativos, desde o contato com os devedores até a renegociação das dívidas. “Os produtos de financiamento no Brasil são extremamente complexos. Sem um sistema que entenda todos esses mecanismos, a eficácia das ações é questionável”, explica Benicchio, referindo-se ao grande diferencial em relação aos métodos que vêm de fora do país: a compreensão das normas do sistema financeiro brasileiro.

O SysRec consolida os débitos e permite todo tipo de negociação, já que faz os cálculos e pode amortizar quantias variáveis de cada dívida, controlando a “vida” dos acordos. O software ainda possibilita os processos de negativação e reabilitação no Serasa e SCPC (Serviço de Proteção ao Crédito). “Essa integração é fundamental, pois evita os mal-entendidos comuns quando a pessoa pagava suas dívidas, mas, por falta de controle, continuava com o nome nas listas negras”, garante o consultor.

Nos contatos com o devedor, é importante que sejam incorporados os conceitos de CRM (Customer Relationship Management), que monitora as ações, restringindo ações repetitivas e orientando as novas, registrando todo o histórico do relacionamento. “Funcionários bem treinados, uma abordagem correta e um sistema que permita agilidade e flexibilização nas negociações são as ferramentas básicas para reduzir a inadimplência”, diz Benicchio.