Telefutura aposta na excelência operacional

0
1

Desde agosto de 1990, a Telefutura opera com cobrança. A empresa conta com 180 PA´s e 360 funcionários exclusivos para este fim, atendendo dois gigantes do sistema financeiro: o Banco do Brasil, o maior banco público; e o Bradesco, maior banco privado. Cobrança representa 8% do negócio da companhia. A aposta da companhia para agregar valor à operação, segundo o ex-tenista e presidente Luiz Mattar são: “Excelência operacional somada à nossa infra-estrutura de última geração, transparência e pro-atividade, fidelização e vendas de novos produtos”.
A infra-estrutura da Telefutura inclui equipes de Tecnologia da Informação(TI), que desenvolve soluções próprias e banco de dados para interagir e dialogar com todas as informações de seus clientes. A tecnologia da companhia vai mais além e conta com uma plataforma de CRM, soluções de televendas, telecobrança, workflow, web contact center, voz sobre IP, redes de fibra óptica, linhas privadas (LP), operações via satélite, além de segurança no trânsito das informações nas gravações de 100% dos contatos. Tudo isso fazem parte do seu know-how de estar sempre em direção do crescimento.
O treinamento e a capacitação do capital humano, na opinião de Luis Mattar, é outro diferencial da empresa no mercado de cobrança. Por isso são desenvolvidos treinamentos intensivos e dedicados a cada estágio da operação de cobrança. “As grandes idéias estão sempre dentro de nós. É pensando exatamente desta maneira que a Telefutura tem provado ao mercado que a competência, a eficiência e a credibilidade, não estão diretamente associadas somente à alta tecnologia. O material humano é o principal diferencial e nossa maior preocupação. Além do mais, investimos cerca de 1% do faturamento em treinamentos das nossas equipes”, finaliza o presidente.