Tem BI no RH

0
24
Autor: Jorge Utimi
Os dados monitorados possuem um grande potencial se usados de forma inteligente. Essa é uma percepção cada vez mais inserida nas organizações. Quando bem utilizados podem até evitar crises, definir ações estratégicas e agilizar tomadas de decisões assertivas. Seguindo esse caminho, a compilação de dados estratégicos deixou de ser um ofício manual realizado e acessível apenas pela área de TI e marketing, já que todas as áreas da empresa podem aproveitá-los de maneira produtiva. Nesse cenário, a tecnologia Business Intelligence (BI) entra em cena garantindo agilidade na análise e no cruzamento de informações gerando indicadores relevantes para as empresas.
Percebe-se que atualmente muitas áreas de empresas são carentes desses indicadores confiáveis. Mas seria importante até para a área de Recursos Humanos, que somente controla a entrada e a saída dos profissionais? Engana-se quem pensa que o RH faz apenas isso. Este setor tem uma visão cross da companhia e um de seus principais objetivos e ofícios é a redução dos impactos – como ocorrências, custos e riscos trabalhistas – que podem custar muito caro para os negócios e até para a reputação das empresas. Sendo assim, para evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer, o BI é mais eficiente do que se imagina.
Entre os dados que podem ser agrupados em uma solução de BI estão o número de funcionários divididos por sexo, o volume de negócios, a ausência injustificada, férias, aniversários, gráfico de horas extras, evolução de incidência, motivos de saída de funcionários e se estes pediram demissão ou foram demitidos.
Um dashboard para o RH com essas informações da empresa cruzadas e analisadas pode, entre outros benefícios, fornecer indicadores de aplicações de controle de ponto até relatórios gerenciais, revisão, padronização de contratos dos funcionários e substituição de sistemas e controles. É, na verdade, um grande repositório de informações que permite a extração de vários KPIs, ou seja, medidas quantificáveis para compreender se os objetivos estão sendo atingidos e se é preciso tomar atitudes diferentes que melhorem os resultados atuais e as condições dos funcionários.
Afinal, são as pessoas que fazem a empresa “acontecer” e o RH não apenas tem o papel de contratar e demitir, mas também de identificar inconformidades sempre prezando por um bom ambiente de trabalho.
Enfim, pode-se perceber que os dados realmente possuem um grande potencial se usados de forma inteligente como foi falado acima. E o BI já pode ser considerado um aliado às empresas para que todas as áreas funcionem com a eficiência máxima. Por isso, investir em tecnologia, é investir no sucesso da organização.
Jorge Utimi é presidente da Inteligência de Negócios.