Temporário? Só se for no cargo…

0
3
Não é de hoje que o setor de contact center é um dos maiores geradores de emprego do Brasil. Mais do que isso, ele é conhecido por ser a porta de entrada para o mercado de trabalho de muito jovens. No entanto, do outro lado, esses novos profissionais, muitas vezes, encaram a oportunidade como um trabalho temporário, sem vislumbrar uma carreira a longo prazo no setor. O resultado é a alta rotatividade dos colaboradores, o que acaba impactando diretamente na qualidade do atendimento. Como mudar esse cenário, então? É simples e muitas empresas já descobriram o caminho, desenvolvendo programas de gestão de carreiras. “Acreditamos que um programa de gestão de carreira vem de encontro a transformar o setor não apenas num provedor de empregos temporários e sim num segmento atrativo de mercado, que possa gerar a médio e longo prazo uma carreira especializada e muito bem definida”, comenta Roberto Ribeiro, diretor executivo da Tel Telemática.
Na visão do executivo, se a atividade alcançar esse ponto de maturação, haverá reflexos positivos na rotação dos colaboradores, na qualidade operacional oferecida e na imagem do setor. Ciente disso, o mercado já vem apostando fortemente nessa estratégia. “Todas as empresas com um grau maior de profissionalismo já lançaram seus programas e tem investido muito dinheiro e tempo para que tragam os resultados esperados.”
Muito disso se deve porque a gestão de carreira permite formar dentro de casa os próprios líderes, com a vantagem de ter um colaborador que já está habituado com as normas e cultura da empresa. Mais do que isso, ele também contribui para a melhoria dos resultados da empresa, a partir da motivação dos funcionários. “Uma empresa que implanta um programa de gestão de carreira bem definido recebe em troca profissionais mais motivados, alinhados às suas estratégias e objetivos, e com melhor produtividade”, decreta Angela Sardelli, sócia-diretora da Vox Consulting. Para a especialista, quando os profissionais sabem que podem crescer na organização, naturalmente contribuem para o seu crescimento. Esse ganho de motivação, produtividade e adequação do profissional à função/cargo, resulta em um melhor atendimento aos clientes.
Dentro disso, o modelo mais adequado para gerir carreira ainda é o processo conhecido como gestão sucessória, segundo Peter Noronha, associate director e partner da Asap Recrutiers, consultoria de busca e seleção de executivos. Nele, em uma primeira etapa, a luz da estratégia organizacional, a empresa mapeia posições chaves ao negócio, depois identifica criticidades dessas, mapeia esses potenciais, gera um plano de desenvolvimento e identifica sucessores. “Todo esse processo permeado preferencialmente por governança e muita comunicação/transparência.”
Porém, Noronha alerta que a alta liderança deve estar comprada com o projeto de gestão de carreiras, avaliando a cultura e o momento da empresa. É importante ainda ter uma sistemática, incluindo processos e sistemas simples, para operacionalizar, além de uma comunicação clara acerca de requisitos, ganhos/limitações e papéis dentro desse processo. “Em um mundo onde o perfil/competências dos profissionais é dinâmico e sobre influências das demandas do mercado, engessar demais o processo pode ser um grande desafio”, explica. Outro ponto é o monitoramento constante do processo bem como a necessidade de adequar rapidamente às mudanças. “Como o horizonte profissional se mostra cada vez mais curto, como podemos falar em gestão de carreira? Importante se pensar cada vez mais a curto e médio prazo.”
Outro desafio está no perfil dos colaboradores dos contact centers, que são na maioria jovens. Isso porque esse público é imediatista para alcançar os resultados e suas metas, além de necessitarem de apoio para compreender que a gestão de carreira é sua responsabilidade também. “É preciso deixar muito claro o que se espera dele e o que pode ser feito para que tenha o esperado crescimento na companhia. Também é muito importante acompanhar de perto os trabalhos realizados e orientar se os rumos traçados estão corretos”, detalha Angela. A consultora explica que os profissionais que entram em uma organização buscam uma carreira e a empresa precisa estar atenta a isso, contribuindo com o planejamento desde que esse jovem inicie seu ingresso na organização; sabendo avaliar, apoiar e mostrar quais são os caminhos que ele poderá ter na empresa.

SENHOR DA PRÓPRIA CARREIRA
Um fator importante é a parceria que deve existir entre empresa e colaboradores, onde, a empresa dá a infraestrutura necessária ao funcionário para crescer e se aperfeiçoar, em contrapartida, o colaborador busca pelas melhores práticas por meio de cursos, coaching e acesso à informação, de acordo com Daniel Tavares, gerente de recursos humanos da Vector Contact Center. “Tanto colaborador, quanto empresa precisam agir em colaboração. E os direitos e deveres de cada um devem ser colocados com muita clareza antes, durante e depois do processo.”
Por conta disso, o consultor e palestrante Heitor Bergamini, detalha que todo profissional deve focar no planejamento de longo prazo para a carreira e vida, traçando metas, foco e objetivos. “Acredito que somos ´senhores´ e responsáveis por nossas carreiras, isso significa que quem cuida da nossa carreira somos nós mesmos”, afirma o autor do livro “Gestão de Carreiras – As cinco ferramentas de gerenciamento”. Diante disso, ele aponta que não se pode ficar esperando que a empresa ofereça ajuda, tendo que buscar e fazer o melhor para si mesmo. Em seu livro, Bergamini escreve que a carreira não se constrói de um dia para o outro. É preciso dedicar a maior parte da vida a ela. Assim, o autor diz que o primeiro grande passo é iniciar o planejamento com antecedência e seguir todas as etapas sabendo que muitas coisas não vão acontecer conforme planejado e será preciso, muitas vezes, reprogramar metas.
E para você, qual a maior importância de ter um programa de gestão de carreira no setor de call center? Dê a sua opinião na enquete do portal Callcenter.inf.br.
Leia também as matérias do especial:
Vector incentiva desenvolvimento de colaboradores com programas de formação
Tel Telemática trabalha para que cada vaga aberta tenha um colaborador para assumir
Programa de gestão de carreira motiva colaboradores a irem atrás dos melhores resultados
Especialista detalha os passos para construir um projeto de gestão de carreira
Consultor aponta importância dos profissionais focarem no planejamento de longo prazo
Confira outras matérias sobre o assunto:
Maioria dos profissionais não está contende com a gestão de carreira da empresa
Há circunstâncias em que a própria carreira é uma forma de se matar aos poucos
Maioria dos jovens considera muito importante ter um plano de carreira
Como o autoconhecimento pode influenciar no crescimento profissional
Apenas 7% de jovens das classes C e D pensam em plano de carreira, revela pesquisa
Pesquisa com CFOs aponta que meritocracia é valorizada por 60% das empresas brasileiras
Livro ensina como usar ferramentas de gestão para atingir os objetivos traçados