Uma década de Brasil

0
1
A Almaviva do Brasil está comemorando uma década de atuação no mercado brasileiro. A empresa, que chegou ao Brasil em 2006, emprega atualmente 24 mil profissionais e conta com centrais em Belo Horizonte (MG), Juiz de Fora (MG), Guarulhos (SP), São Paulo (SP), Maceió (AL), Aracaju (SE), Teresina (PI) e Brasília (DF). Se no início os negócios no País tinham forte foco em telecomunicações, hoje já atende empresas de diferentes segmentos, como financeiro, transporte, utilities, indústria automobilística e farmacêutica.
“Estamos muito felizes por completar uma década de trabalho no Brasil. Ao longo desses anos, conquistamos a confiança de importante fatia do mercado e nos tornamos a terceira maior empresa do setor. Sabemos, no entanto, que ainda temos um longo caminho para avançar e estamos dispostos a trabalhar para seguir ajudando as empresas a se relacionar mais e melhor com seus consumidores, por meio de centrais tradicionais ou de soluções tecnológicas e processos inovadores”, explica Francesco Renzetti, CEO da Almaviva do Brasil.
Ao longo desses anos, a empresa gerou aproximadamente 100 mil vagas de trabalho, em sua maioria voltada para jovens em primeiro emprego. Além disso, investiu mais de R$ 250 milhões na abertura de centrais e em soluções tecnológicas que atendem às necessidades do mercado, além de desenvolver soluções customizadas de acordo com a demanda de cada cliente.
MOMENTO ATUAL
No primeiro semestre desse ano, a Almaviva registrou aumento na receita bruta de 13,5%, passando de  R$ 444 milhões, de janeiro a junho de 2015, para R$ 504,2 milhões. O EBITDA passou de R$ 51,6 milhões para R$ 62,7 milhões – variação positiva de 21,6%; e o EBITde R$ 35,1 milhões para R$ 43,8 milhões em um aumento de 24,7%. “O Brasil passa por um momento econômico difícil. No entanto, mesmo com o cenário adverso, enxergamos oportunidades e continuaremos apostando no mercado brasileiro”, reforça Renzetti.

Saiba mais sobre a evolução da Almaviva no Brasil pelos Cadernos Especiais da ClienteSA:
Edição nº 127
Junho/2013
Edição nº 66
Novembro/2007