O canal para quem respira cliente.

Vale investir no bem-estar dos colaboradores?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Nos últimos anos, as empresas passaram a investir fortemente na qualidade de vida dos funcionários. A princípio, tais investimentos foram direcionados para atender as exigências legais dos sindicatos e da previdência social. Mas, com o passar do tempo, os gestores perceberam que o bem-estar dos colaboradores refletia diretamente no cotidiano da corporação. “Nunca houve tanto destaque para os planos de benefícios como nos dias de hoje. Há uma avaliação constante sobre os custos e os valores necessários para implantá-los, além dos propósitos e responsabilidades, tanto para a empresa quanto para os trabalhadores”, ressalta o diretor corporativo do GymPass, Thiago Pessoa.
Para quem acredita que a utilização de um benefício pode aumentar a carga administrativa ou os custos, é melhor reconsiderar essa premissa. Profissionais de RH concordam que ele contribui para alcançar resultados positivos dentro das empresas. “Vale reforçar, também, que é de grande importância o RH conhecer as metas de carreira pretendidas pelos colaboradores e, mais ainda, as suas expectativas. Se de um lado as pessoas trabalham e têm compromisso com os resultados, do outro, o bem-estar e o bom clima organizacional impacta diretamente na produtividade da empresa”, complementa.
Segundo o executivo, as empresas procuram cada vez mais planos diferenciados para atender as necessidades dos seus colaboradores, principalmente as relacionadas à saúde. “Cada pacote de benefícios deve ser traçado de acordo com o perfil da equipe e das suas atividades. Ao incluir aqueles direcionados aos cuidados com a saúde, inclusive com a prática de atividades físicas, há um ganho na vida pessoal e familiar e o dia a dia profissional se torna mais equilibrado e produtivo. Os colaboradores ficam mais motivados, há uma diminuição no absenteísmo, e, principalmente, caem as taxas de enfermidade dentro do ambiente corporativo”, explica. A seguir, Pessoa enumera os principais mitos e verdades relacionados à concessão de benefícios corporativos na atualidade.
1 – Plano de carreira consistente, aliado a benefícios que privilegiem a qualidade de vida, são fatores eficazes para a atração e retenção de talentos. VERDADE
As empresas perceberam que é um erro não cuidar, nem atender às necessidades dos seus colaboradores. A insatisfação está diretamente ligada à alta rotatividade de pessoal, o que não é nada bom para a corporação. Recorrentes processos seletivos e treinamentos significam mais custos financeiros e gasto de uma energia desnecessária.
2 – Com o apagão de talentos, o ponto forte na negociação para a contratação de um profissional altamente capacitado é o oferecimento de uma excelente remuneração. MITO
Salários competitivos são sempre bem-vindos, mas os benefícios que estão ao seu lado também são muito importantes. Os tradicionais vale-transporte e refeição, assistência médica-odontológica, auxílio-creche, incentivo ao estudo e, mais recentemente, os que promovem os cuidados com a saúde, se tornaram pontos de extrema relevância na hora da negociação com o futuro colaborador.
3 – Profissionais saudáveis produzem mais. VERDADE
Em tempos de uma vida moderna cercada por pressões vindas de todos os lados, é unânime o desejo por uma melhor qualidade de vida.  Colaboradores que praticam mais exercícios e com vida menos sedentária se sentem mais dispostos, pessoal e profissionalmente. A disposição serve de inspiração para os colegas e os resultados alcançados são reflexos desta nova postura adquirida.
4 – Bem-estar e qualidade de vida estão atrelados, única e exclusivamente, ao oferecimento de um bom plano de saúde. MITO
Um bom plano de saúde oferece uma segurança ao colaborador. No entanto, o incentivo à prática de atividades físicas, dentro e fora do ambiente profissional, é uma aspiração dos colaboradores e, cada vez mais, se torna parte do cotidiano empresarial.
5 – Apenas excelentes benefícios não são suficientes para motivar uma equipe. VERDADE
Além de salários e benefícios competitivos, os colaboradores também precisam se sentir parte da empresa. O conceito da família empresarial já é uma realidade nas corporações.
6 – É muito caro implantar um plano corporativo de ginástica. MITO
Os planos GymPass funcionam de maneira coparticipativa, ou seja, colaborador e companhia realizam pequenas contribuições mensais.
7 – Benefícios não podem ser confundidos com regalias ou extravagâncias. VERDADE
A concessão de benefícios é uma preocupação das empresas com a valorização de seus colaboradores e não uma espécie de moeda de troca.
8 – Empresas que se preocupam com o bem-estar de seus funcionários são consideradas benevolentes e com baixa disciplina. MITO
A satisfação com a empresa está diretamente ligada ao aumento da produtividade. Consequentemente, a disciplina passa a fazer parte do comportamento dos colaboradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima