Witness anuncia resultados após aquisição da Eyretel

0
7

A Witness Systems, fornecedora de serviços e software de otimização e performance, anunciou seus resultados financeiros para o primeiro trimestre finalizado em 31 de março de 2003. Os resultados foram significativamente afetados pelas despesas associadas à aquisição previamente anunciada da Eyretel, fornecedora britânica de soluções para gravações de contact centers. A empresa adquiriu o controle minoritário da Eyretel em fevereiro e obteve 90% do controle total da empresa na última semana de março.
De acordo com analistas, a empresa que surgiu com a integração Witness e Eyretel atua no mercado de gravações de contact center e no mercado emergente de otimização de performance de software. Outros destaques do trimestre incluem o recebimento de pedidos de 34 novos clientes durante o trimestre e a finalização do trimestre com US$ 53 milhões em caixa e investimentos de curto prazo.
A empresa está mantendo sua atual orientação do ano, com ganhos de US$ 0.05 a US$ 0.08 por ação, enquanto promove a adaptação de escopo de receita para 2003 de US$ 96 para US$ 101 milhões. A empresa prevê uma receita em torno de US$ 25 a 27 milhões. Devido à dificuldade de estimar os custos adicionais relacionados com a fusão e a amortização de intangíveis, as orientações em base GAAP não estão sendo fornecidas.
As perdas líquidas em bases de GAAP totalizaram US$ 10,8 milhões, ou $0.49 por ação. As perdas líquidas geradas pelas operações principais, definidas como perdas líquidas exclusivas de encargos adquiridos de processos de pesquisa e desenvolvimento, custos relacionados à aquisição amortização de bens intangíveis e valores de prejuízos da Eyretel referentes ao período anterior à consolidação totalizaram US$ 358.000 ou US$ 0,02 por ação, após a aplicação de 36% de imposto pró-forma.
Não houve impacto na perda por ação do principal gerada pela consolidação com a Eyretel, ocorrida na última semana do trimestre porque as receitas e despesas foram de aproximadamente US$ 2 milhões. A empresa acredita que suas operações principais representam um quadro mais fiel dos resultados reais das operações da empresa porque excluem certas despesas que não financeiras relacionadas à aquisição, as quais a empresa acredita que não refletem os custos contínuos das operações. Conseqüentemente, a empresa prepara seus orçamentos internos e estabelece metas de desempenho para seus funcionários com base nas operações principais.