Aposta na união contra desigualdades

0
1

Transformar as ações de responsabilidade social até então isoladas em uma política corporativa estratégica. Este é o principal objetivo da nova diretoria criada dentro da estrutura organizacional da Teleperformance Brasil. Os responsáveis pela missão são Jorcelina Moraes e Laércio Silveira. Essa guinada estratégica começou com a reunião das melhores práticas de todos os sites espalhados pelo País e, com respaldo oficial da corporação, disseminar essa cultura junto a seus quase 8.000 colaboradores.
A tarefa, aparentemente difícil, pelo grande volume de ações isadas, acabou facilita pela estrutura criada. Ela conta com apoio das Coordenações Administrativo-Financeira e de Recursos Humanos de cada site para multiplicar, alavancar e motivar a concretização dos projetos. Entre eles estão os Programas de Doações, as Campanhas de Arrecadações e Motivacionais e os Patrocínios a Entidades Filantrópicas. No campo social, a estratégia passa por quatro campanhas – Campanha de Arrecadação de Alimentos, Campanha do Agasalho, Campanha de Arrecadação de Brinquedos e Campanha dupla para Arrecadação de Alimentos e Brinquedos. “O resultado destas ações é a completa integração e satisfação de todos os profissionais envolvidos. Os colaboradores trabalham caracterizados”, comenta Jorcelina.
“Agregado a essas doações, outro processo é praticado nos sites que é a doação do tempo dos colaboradores, o voluntariado”, justifica Laércio. Para tanto, a Empresa está mapeando dentro dos sites os colaboradores que têm talentos, habilidades ou cursos profissionalizantes e que possam doar tempo para entidades carentes, levando auxílio, diversão e treinamento para a capacitação profissional das famílias de baixa renda.
Uma das garantias do sucesso do projeto passa pelo prévio cadastramento das instituições. Entre os exemplos estão entidades filantrópicas e especializadas como associações de deficientes físicos. O objetivo é capacitar pessoas de famílias de baixa renda a serem absorvidas pelo mercado de trabalho. Atualmente, a Teleperformance emprega perto de 500 deficientes físicos que não tinham chance de serem contratados. Hoje, são agentes de atendimento e supervisores. Os sites, inclusive, são adaptados para recebê-los.
Dentro do plano de capacitar seu pessoal, a Teleperformance estabeleceu parceria com a Faculdade Anhanguera de Ciências Humanas de Goiânia e criou o Curso Superior Sequencial em Telemarketing – com duração de 12 meses – que foi aprovado pelo Ministério da Educação. “Nas primeiras turmas, 500 colaboradores tiveram acesso ao curso. Estes profissionais se sentiram tão motivados que hoje estão na Faculdade fazendo curso de graduação normal. Isso desenvolveu significativamente os colaboradores e trouxe muita motivação”, avalia Jorcelina”.
Um novo projeto está sendo implantado nos sites da Teleperformance. Trata-se do Projeto de Absorção de Menores Aprendizes, no qual ao final do programa, o menor carente tem chance de conseguir trabalho no mercado. O projeto piloto foi implantado em Goiânia, em parceria com o Governo Federal, e o Senac. Os menores passam inicialmente por um processo de capacitação de quinze dias no Senac, e posteriormente são enviados para a empresa. Nesse projeto, os menores são capacitados para ingressarem no mercado.
Os desafios ainda passam pelas propostas de criação do Instituto Teleperformance e do Dia Nacional da Responsabilidade Social Teleperformance. “Através das ações idealizadas e realizadas ao longo do ano, os colaboradores poderão contribuir de forma intensa para a disseminação desta cultura dentro da empresa, bem como cidadãos, se tornando além de profissionais Teleperformance, seres humanos mais voltados ao bem comum para a melhoria do Brasil”, pondera Jorcelina.