No caminho contrário

0
0

A Adedo e a Zanc são dois exemplos de empresas que migraram da área de cobrança para o mercado de call center, pela similaridade das operações. A mudança para Ariovaldo Ferreira, principal executivo da Adedo, anunciada no início deste ano, incluiu reestruturação física e tecnológica do negócio, saindo de um prédio antigo do centro de São Paulo – onde sempre se concentraram a maioria das empresas de cobrança – para o tradicional Alphaville, ocupando um amplo prédio de cinco andares. Há 27 anos no mercado, como TecCobra, a Adedo mantém 102 PAs e 204 operadores, das atuais 800 PAs criadas na nova área.
O faturamento da empresa chegou a R$ 91 milhões ano passado, com 65% ainda respondendo pela área de cobrança e uma carteira que inclui empresas como Ativos S.A., Lojas Marisa, Telemar, Banco GE, SKY, Net Serviços, Claro BCP, Brasil Telecom, Philips e Ambev, por exemplo. O segredo para Ari é a dedicação. “Temos pessoas dedicadas para cada um dos clientes”, salienta. E ele aposta no crescimento da operação de cobrança com novos clientes e na elevação na quantidade de títulos dos atuais clientes.
A Zanc, dirigida por Carlos Zanchi, comemora 25 anos de atuação no mercado de cobrança e, hoje, das 720 PAs, 580 PAs ainda são dedicadas exclusivamente à área. Em uma avaliação do negócio, Zanchi enfatiza como “período em que adquirimos uma grande experiência e conhecimento” e conquista de clientes como Credicard, Terra, Citibank, HSBC, Vivo, Lojas Renner e BankBoston.
Para a Zanc, o faturamento ainda depende 80% da área de cobrança. Mas Carlos reforça que a estrutura está apta à outras atividades. “Ao diversificarmos nossa atuação, com novos serviços, estamos conquistando destaque em novos segmentos”, pondera. Tradicional na área, ele aposta que faz a diferença ao agregar ao expertise de 27 anos inteligência para avaliação de todo o processo, com investimento na trilogia pessoas, tecnologia e processos. “Além disso, somos comprometidos com as necessidades dos nossos parceiros e as metas estabelecidas são o nosso objetivo final; também procuramos enfatizar a qualidade sobre a produtividade, acrescido de determinação e inovação”, salienta.
Zanchi faz uma distinção clara entre os investimentos de infra-estrutura tecnológica e recursos humanos. Na área de tecnologia, ele aposta como diferencial a busca por soluções de qualidade com uma plataforma integrada, agora com know-how de contact center. “Também contamos com uma área de planejamento, que desenvolve relatórios em tempo real e elabora a análise individual das necessidades dos parceiros. É um ideal à conquista dos resultados positivos que nos foram estabelecidos. Em nível tecnológico, se necessário para atingirmos os objetivos comuns, o que for agregar, iremos em busca no mercado para colocar à disposição”, pontifica.
No caso de recursos humanos ele reforça que “este sempre será o grande diferencial da Zanc. O investimento é sistemático em conhecimento e aperfeiçoamento – neste caso, para capacitar os nossos colaboradores – com treinamentos constantes em técnicas de negociação”, salienta. Para ele, política motivacional e salarial, benefícios, incentivo às idéias, criatividade, inovação e a flexibilidade de nossos profissionais são alicerces da empresa. “Tecnologia segura e integrada a processos, juntamente com pessoas criativas e flexiveis constituem a base da confiança”, aposta.