O canal para quem respira cliente.

2004 de bons resultados

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A Algar, grupo empresarial brasileiro com participação em telecom, agronegócios, entretenimento e em outros negócios, comemora os excelentes resultados obtidos em 2004. A empresa atingiu a marca de R$ 1,7 bilhão de receita líquida no ano passado, um crescimento de 12,3% em relação a 2003. Sendo que no primeiro semestre de 2004 foi concluído com sucesso o alongamento do perfil da dívida do Grupo – que atualmente é da ordem de R$ 497 milhões – adequando os prazos à geração de caixa.
Com esta questão resolvida, os executivos da empresa (cerca de 10.600 associados, como são considerados os profissionais da Algar) puderam concentrar seus esforços no desenvolvimento dos negócios e projetos de expansão das empresas. “O ano passado foi ótimo para a Algar, houve um aumento significativo dos resultados em paralelo a uma redução do passivo financeiro, fatores que influenciaram muito positivamente no nosso desempenho”, esclarece José Mauro Leal Costa, CEO do Grupo Algar.
O objetivo da empresa agora, segundo o executivo, é dar seqüência ao crescimento de forma sustentável, principalmente nas áreas de agronegócios e telecomunicações. “A previsão é investir nos próximos dois anos cerca de R$ 350 milhões. Sendo que R$ 220 milhões serão empregados até o final de 2006 em uma nova fábrica de esmagamento de soja no Maranhão. Os outros R$ 130 milhões irão, ainda este ano, para o setor de telecom”, conclui Costa.
Sinergia dos negócios – A divisão de telecomunicações respondeu por 61% do faturamento do grupo em 2004. A Algar participa desse mercado por meio da CBTC, que alcançou a receita líquida de R$ 889 milhões, e da ACS Contact Center, que atingiu a marca de R$ 136 milhões de receita líquida.
Na área de agronegócios, o grupo participa no mercado por meio da ABC Inco, empresa de processamento de soja, e da ABC A&P, empresa de plantio de grãos. Juntas, elas geraram R$ 538 milhões de receita líquida, o que representou 32% do faturamento da Algar, em 2004.
Já na área de entretenimento, o Rio Quente Resorts teve receita líquida de R$ 95 milhões. O empreendimento, hoje, mantém uma das taxas de ocupação mais expressivas do País, recebendo por ano quase um milhão de visitantes. O grupo Algar detém 50% de participação acionária de uma holding que controla a empresa.
Apesar de atuar em áreas tão distintas, o Grupo Algar acredita na sinergia dos negócios para uma oferta integrada aos clientes como diferencial competitivo, e assim crescer ainda mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima