2007, ano de grandes rupturas na setor de TI

0
0


Análises mundiais da IDC indicam que 2007 será o ano de grandes rupturas na indústria de Tecnologia da Informação. Diversos aspectos estão mudando de forma radical o mercado tradicional, com alguns movimentos afetando a América Latina. “Com a estabilidade econômica da região, enxergamos para 2007 um grande número de mudanças na tecnologia global que influenciarão o mercado latino-americano, de virtualização para SOA a serviços gerenciados para unificar as comunicações. Ao mesmo tempo, enxergamos que o mercado da região, de forma geral, está caminhando para seu quarto ano consecutivo do crescimento”, disse Eric Prothero, vice-presidente da IDC América Latina e presidente da IDC Brasil.

As dez previsões de TI para a América Latina em 2007 são:

1- 2007 marca o quarto ano de crescimento nos investimentos da América Latina em TI: enquanto as estimativas para 2007 apontam para um aumento de 6,7% nos investimentos em tecnologia no mundo, na América Latina este crescimento será de 12,8%.

2- Empresas começam a enxergar além do BRIC: com a nova economia aumentam os desafios para driblar o custo de vida, alta remuneração, etc, o que está fazendo com que as empresas mundiais comecem a prestar atenção em outros países emergentes além dos que fazem parte do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) com a taxa de crescimento acima da média e mão-de-obra mais barata, como é o caso da Argentina, Chile, América Central e Caribe, por exemplo.

3- Infra-estrutura de TI na América Latina está caminhando para o modelo de Dynamic IT: 2007 será um ano de educação quanto à virtualização, não só na América Latina como em todo o mundo. Aprender a aplicar melhor sua infra-estrutura de hardware, software e serviços será a meta das empresas da região em 2007.

4- Convergência estará no topo do faturamento em telecom: a convergência afetará todas as áreas de telecomunicações, com incremento no VoIP, especialmente pelas empresas de médio porte da região. O próximo impulso das operadoras de telefonia fixa é partir para a tecnologia da convergência fixa-móvel (FMC), com o Triple Play também ganhando espaço. As operadoras estão olhando mais atentamente a migração para a tecnologia 3G a fim de finalmente tornar realidade na América Latina as promessas da banda larga móvel, permitindo todos os tipos de aplicações (conteúdo, entretenimento, etc.). Atualmente, a maioria das operadoras está num estágio intermediário, podendo oferecer somente alguns MMS (Multimedia Messaging Service) e aplicações móveis básicas de dados.

5- A estabilidade econômica aumenta o foco nas médias empresas: as previsões apontam para um aumento de 16,9% nos investimentos em tecnologia das médias empresas (de 100 a 499 funcionários) da região. As ofertas de Software como Serviço (SOA) e Serviços On Demand fazem parte da estratégia dos grandes fornecedores para o segmento, assim como terão demanda os servidores dual core, aplicações e infra-estrutura de software.

6- América Latina sai da sombra no mercado de serviços off shore – Lentamente, as companhias mundiais estão considerando a América Latina como uma das possibilidades para o mercado offshore. O Brasil, apesar dos encargos trabalhistas encarecerem a mão-de-obra local, mostra-se um mercado interessante para a exploração dos serviços off shore pela forte atuação nos segmentos de Finanças, que representa um terço da demanda global de off shore, e de Governo.

7- Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) sai da idéia para a realidade em 2007 – plataforma de próxima geração que veio para ficar. Entretanto, eventualmente será mais importante para os fornecedores de software manter o foco em produtos de fácil integração do que nos próprios clientes. A IDC estima que aconteçam projetos de missão crítica em SOA em grandes corporações da região, mas com a maioria das companhias ainda aguardando a adaptação do SOA em pacotes de software para a adoção.

8- A mobilidade está elevando o mercado de consumo – No segmento de consumo, equipamentos sem capacidades WLAN vão começar a ser inaceitáveis. A tecnologia wireless está elevando o consumo de PCs, notebooks, handhelds e smartphones, permanecendo assim nos próximos anos. Enquanto disparam as vendas de notebooks na região, com facilidade dos planos de financiamento, programas de incentivos do governo, segundo PC em casa, mobilidade no emprego, educação, etc, também, curiosamente, crescem as vendas de handhelds na América Latina. No resto do mundo, este equipamento está com o consumo em declínio.

9- A demanda por informação inteligente integrada colocará os fornecedores diante de CEOs e de CFOs – Ao longo de 2007, a IDC espera que as empresas da América Latina aumentem o foco na abordagem integrada para o gerenciamento da informação, começando a desenvolver um entendimento convergente de BI, BPM e BPA, enquanto, por outro lado, apertem os cintos com os investimentos em servidores e storage, por exemplo, causando grande impacto entre CEOs e CFOs.

10- Serviços Gerenciados na América Latina: choque de três mundos – Em 2007, os serviços de gerenciamento irão abordar três lados: as operadoras de telefonia, os fornecedores de tecnologia e os fornecedores de rede. De acordo com a IDC, os serviços gerenciados estão em alta na região, devendo fechar 2007 com uma receita de um 1 bilhão de dólares.