36% das empresas alimentícias negociam on-line

0
15

Um levantamento inédito no setor de alimentação realizada pela Associação Brasileira de e-business mostra como o setor utiliza a web (Internet) para fazer negócios. Participaram do estudo as empresas Gomes da Costa, Unilever, Doux, Frangosul, Seara, Danone, Sadia, Cosan, Perdigão, Corn Products, Nestlé, Cia. Alagoana de Refrigerantes, MC Cain, Cadbury, Adams, Kraft Foods, Bunge, Kaiser, Bimbo, Hershey, Arcor, Grupo Mabel e Ambev. A pesquisa mostra que 36% das empresas do setor alimentício, de alguma forma, já compram ou vendem de forma on-line (na Internet).
Das principais barreiras encontradas para o uso da web nas negociações, a cultura interna na utilização de novas ferramentas ficou em primeiro com 15,8%, mostrando que as dificuldades estão principalmente relacionadas à cultura para a absorção de mudanças.
Já na questão das prioridades, notou-se que diferente de 2004, onde as empresas estão focadas em “arrumar a casa”, 2005 promete ser um ano de análise de informações gerenciais e aumento das ações de relacionamento com os clientes. 18% das empresas, para o ano de 2005, estarão focadas no aumento das relações com os clientes utilizando a web como canal.