A era do negócio próprio

0
2
Estamos prestes a presenciar uma nova era de empreendedorismo que pode aumentar significativamente o número de pequenas empresas globais e negócios independentes, de acordo com pesquisa patrocinada pela GoDaddy. O levantamento foi feito em 11 países, com mais de sete mil pessoas e 2.500 proprietários de pequenas empresas. No Brasil, ele mostrou que 68% dos respondentes esperam começar o próprio negócio nos próximos 10 anos, além dos 16% que esperam ser trabalhadores autônomos e outros 16% que esperam ter um emprego fixo juntamente a outro emprego independente. “Com a tecnologia, o empreendedor hoje é capaz de derrubar barreiras e começar a própria empresa de forma relativamente simples”, comenta Cristiano Mendes, diretor de Business Development para América Latina da GoDaddy.
A vontade em ser seu próprio chefe é particularmente maior entre a Geração Y que está se jogando no empreendedorismo em um ritmo nunca visto antes, talvez devido à alta exposição à tecnologia durante sua vida toda e uma admiração a modelos de startup. Segundo a pesauisa, 62% da Geração Y tinha um emprego fixo quando decidiu que ia começar um negócio ou se tornar um profissional autônomo, além de 75% que pretende ter seu próprio negócio nos próximos 10 anos. Igualmente relevante, os Baby Boomers não pretendem parar de trabalhar depois da aposentadoria. De acordo com a pesquisa, 61% esperam ter seu próprio negócio nos próximos 10 anos.
Ainda segundo o levantamento, 52% dos respondentes afirmam que a flexibilidade oferecida por modelos de trabalho autônomo é a maior motivação para que eles queiram trabalhar em empresas que seguem esse tipo de contratação, seguido por 28% que consideram a autonomia a maior motivação. Dentre a Geração Y, 53% prioriza a flexibilidade e 29% a autonomia. “A Geração Y não possui ambição de carreira corporativa. Para eles o mais valioso é a qualidade de vida, ou seja, trabalhar com algo que gostam e, ao mesmo tempo, poder ter tempo para os amigos e a família”, complementa Mendes.
A atual possibilidade de levantar altos orçamentos a partir de fundos de investimentos em infraestrutura digital também enxugou uma boa dose do risco de começar um novo negócio. Inclusive, 85% dos respondentes afirmam que a evolução da tecnologia facilitou na abertura de um negócio. Além disso, mais da metade (64%) preferem gerenciar suas necessidades tecnológicas sozinhos. Esses fatores também fazem com que o risco não pareça tão intimidador. Dentre os empreendedores, o fracasso é apenas mais um obstáculo no caminho, um passo necessário na evolução da criação de uma empresa. 54% dizem que tentariam novamente, caso seu negócio atual falhasse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFlex oferece 600 vagas
Próximo artigoEvolução puxada pelo cliente