A melhor experiência

0
2
Criado com o objetivo de diminuir as reclamações feitas pelos usuários na central de atendimento da Anatel, o Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações, ou RGC, trouxe à sociedade novas regras que prevêem mudar o relacionamento entre clientes e operadoras de telecomunicação. E se depender da Claro, com o RGC, este convívio só tende a melhorar. “As novas regras vão ao encontro do que a operadora adota como política, pois facilita ainda mais a comunicação entre as empresas e os usuários de seus serviços. A Claro tem como premissas oferecer a melhor experiência aos clientes e ter um relacionamento próximo e transparente com eles”, afirma Ricardo Floresta, diretor de serviços ao cliente e operações da empresa.

O novo regulamento, segundo Floresta, vem ainda para beneficiar a gestão das empresas. Por esta razão que a Agência Nacional de Telecomunicações ofereceu às empresas um prazo de 120 dias para adaptação, prazo este que chegou ao fim neste mês, quando o RGC entrou em vigência. “A Claro teve que realizar um intenso trabalho e um alto investimento para atender a todos os itens previstos na nova regulamentação. As modificações resultarão em mais transparência nas relações de consumo, beneficiando tanto a empresa quanto o cliente”, conta o executivo.

Entre as principais mudanças que as novas normas trarão estão: os clientes poderão realizar o cancelamento automático de seus serviços, sem haver a necessidade de entrar em contato com algum atendente; caso a ligação caia, as operadoras é quem deverão retorná-la; todos os protocolos, gravações e documentos deverão estar disponíveis aos clientes no portal da empresa; promoções, ou quaisquer ações, deverão valer para novos e antigos usuários; os serviços só poderão ser cobrados após o seu funcionamento; entre outros. Ou seja, transformações que atingirão pessoas e empresas nos mais diferentes sentidos. “Além de repassar as transformações do RGC internamente, o regulamento exigiu uma reformulação complexa, tanto nos sistemas como nos processos em uso”, ressalta Floresta.

Ele explica que as mudanças são totalmente focadas em trazer melhorias e facilidades em todas as relações entre os clientes e as operadoras. “Assim como qualquer novidade, necessita-se de um tempo para que todos estejam adaptados às modificações trazidas pelo RGC”, conta o diretor. Por isso que, inclusive, o preparo também será uma necessidade por parte dos clientes. Principalmente, porque, a partir de agora, será ele próprio quem realizará muitas das ações, não mais sendo as operadoras. “As implementações realizadas para atender as novas regras foram bem complexas e exigiram grandes alterações tanto nos sistemas como nos processos em uso”, finaliza.