Agora, a compra é mais inteligente

0
1
Os brasileiros já não estão mais agindo por impulso. Dos entrevistados, 59% declararam que já começaram a cortar gastos e 39% planejam suas compras. De acordo com a nova/sb, essa prática pode ser chamada de smart buy (ou compra inteligente). Em seu estudo, “Como Crescer na Crise”, a agência teve como base sua metodologia própria, chamada de popsynergy. A técnica analisa informações sobre o novo perfil do consumidor brasileiro e oportunidades de crescimento no período de desaceleração econômica. Os dados foram coletados entre março e abril deste ano. 
Outro ponto que aponta a mudança de padrão, é que 77% dos entrevistados afirmaram que mudarão sua conduta de compra, devido o atual momento econômico. Ou seja, ele está agindo de maneira estratégica e coloca em prática táticas, com o objetivo de conquistar vantagens na hora de gastar. Dessa forma, 53% declaram que fazem lista de compras, 39% utilizam sites comparadores de preço e 37% declaram esperar promoções em datas específicas, como Black Friday, Feirões, entre outros. 
Da mesma maneira que antigos hábitos também voltaram à tona. Como o fato de que 39% disseram voltar a estocar itens na dispensa. Diminuindo, assim, a frequência de compras nos supermercados. Mas, ainda que queira economizar, o brasileiro ainda pretende manter marcas de sua preferência na lista de compras. Com isso, 56% declara que o foco na hora de consumir é conseguir equilibrar o menor preço com o produto que já está habituado. Para a agência, isso mostra que o consumidor aguçou sua percepção na hora das compras. Ele está mais atento, por exemplo, a alterações de peso e embalagem. Já que 48% disse perceber quando marcas diminuem o tamanho de suas embalagens e mantêm os mesmos preços. 
CONCLUSÕES 
Com base no diagnóstico desse novo consumidor, o estudo aponta como agir para crescer no momento de crise. Tendo como referência a metodologia popsynergy, a conclusão da pesquisa relata oportunidades através da identificação de três fatores: informação, importância e impacto. Nesse período de instabilidade o consumidor procura segurança. Com isso, trabalhar a informação precisa é de extrema importância, para que seja percebida a qualidade de produtos e serviços. Concluiu-se também que é fundamental deixar o consumidor seguro para comprar. Algumas formas de colocar essa questão em prática seriam: investir em canais de comunicação e solução de dúvidas, selos de certificação e garantias.
 
O estudo também aponta o que é importante para o consumidor nesse momento. Um dos campos mais relevantes para os entrevistados é o consumo dentro de casa, já que entre as áreas mais suscetíveis a cortes estão gastos com entretenimento e comida fora de casa. E também há um grande interesse em organizar os gastos domésticos. Com esse diagnóstico é possível identificar algumas oportunidades de negócios, como investimentos nos setores de: alimentos para uso doméstico, lazer em casa (internet, TV a cabo, filmes e música) e produtos premium para consumo em casa.