Analytics no varejo

0
9
A Seed, empresa que trabalhar com sistemas integrados e voltados para análise de comportamento de consumo offline, inicia as suas operações no país. A ideia é oferecer informações a partir do cruzamento dos dados captados e o balanço de vendas das lojas para mensurar o retorno de investimentos realizados por segmentos. O objetivo da companhia é suprir a carência de métricas precisas no varejo tradicional.
 
Por meio de sensores e algoritmos desenvolvidos para o mercado físico, a Seed permitirá que os varejistas conheçam o perfil de seus consumidores e do fluxo de suas lojas, além de mensurar o impacto de espaços publicitários (displays, outdoors) e pontos de venda. Essa prática auxiliará as empresas na tomada de decisões estratégicas, além de medir a eficácia da comunicação dirigida ao cliente. Com tecnologia própria, a empresa oferecerá sensores que traçam o perfil do cliente, hotzones e fluxo de pessoas, enquanto um sistema de processamento cruza os dados obtidos com os resultados de caixa da loja, criando gráficos e relatórios de fácil compreensão. 
“Criamos um sistema preciso e intuitivo, que nos permite analisar o comportamento dos clientes em tempo real. Nossa ferramenta em cloud permite que o usuário acompanhe seus resultados, de onde estiver, utilizando a exatidão de nossas métricas e relatórios para conhecer cada vez melhor os hábitos de compra do seu consumidor e otimizar o resultado de vendas”, destaca Francisco Forbes, fundador e CEO da Seed.
 “A empresa vê no Brasil grandes oportunidades de negócios, uma vez que o mercado ainda é inexplorado no território nacional. O mercado de mídia não possui hoje nenhuma ferramenta para monitorar o desempenho dos espaços e anúncios off-line e não fornece nenhum tipo de feedback para o anunciante”, reforça Ricardo Tucci, head de marketing da empresa.
Um dos focos da empresa é são os shoppings centers. “Este mercado é muito carente de tecnologias que permitam medir o volume de acessos nestes locais e gerar dados que possam valorizar lojas e espaços e programar melhor sua rotina operacional”, explica o cofundador e COO da empresa, Sidnei Raulino. Até o final de 2014, a Seed pretende atuar em 10 shoppings e mais de 300 lojas em todo o país.