Apoiada em estudo, Novabase acredita em crescimento da TI

0
2

A Novabase do Brasil, empresa do segmento de consultoria estratégica e integração de aplicativos empresariais, espera crescer 25% neste ano e 35% em 2003, ultrapassando os R$ 15 milhões em serviços. A previsão da empresa se justifica por recente estudo realizado pela revista Computerworld, junto a PwC Consulting, que aponta perspectiva de aumento de investimentos das empresas em tecnologia da informação, para o próximo ano. No estudo foram ouvidas 350 corporações de 18 setores da economia. A maioria delas (56%) vai continuar investindo em TI cerca de 2% do faturamento, especialmente em CRM, Datawarehouse e nas áreas de B2B e B2C.

De 2002 para 2003, o estudo aponta um salto de 38% para 41% no percentual de empresas que aplicam mais de US$ 15 milhões em TI. Na faixa das que irão investir entre US$ 10 milhões e US$ 15 milhões, o índice pula de 5% para 7%, e na faixa entre US$ 5 milhões e US$ 10 milhões, de 22% para 24%. A pesquisa indicou queda de investimentos somente entre as corporações que investem menos de US$ 5 milhões.

“Esses números mostram que TI torna-se cada vez mais um elemento-chave da cadeia de valor das médias e grandes empresas, especialmente no caso de projetos de análise e aumento de rentabilidade dos negócios”, afirma o diretor geral da Novabase Brasil, Roberto Gregori. Nas áreas financeira e de telecomunicações, a ênfase da Novabase são os projetos de qualidade de dados e eliminação de redundâncias, criando um cadastro unificado e confiável para suportar iniciativas de DataMining e CRM dos clientes, bem como a segmentação e análise de rentabilidade de seus mercados. No setor de varejo, a empresa se concentra no gerenciamento de categoria e modelos de previsão de demanda para controle de estoques. Na indústria, os focos são orçamentação e Balanced Scorecard.