As marcas mais valiosas de bancos

0
2



A Brand Finance, em parceria com a revista inglesa The Banker, divulga o Brand Finance Banking 500 de 2012, ranking dos bancos com as marcas mais valiosas do mundo. Os dez mais valorizados são, pela ordem: HSBC (US$ 27,59 bilhões), Wells Fargo  (US$ 23,23 bilhões), Bank of America (US$ 22,9 bilhões), Santander (US$ 19,97 bilhões); Chase (US$ 18,96 bilhões); Citi (US$ 18,64 bilhões), American Express (US$ 18,23 bilhões), BNP Paraibas (US$ 16,8 bilhões), Bradesco (15,69 bilhões) e China Construction Bank (US$ 15,46 bilhões).

 

A presença de bancos dos BRICS na lista das dez maiores do mundo está garantida com o Bradesco, na 9ª posição, e o China Construction Bank, na 10ª posição. Completando a lista dos vinte bancos mais valiosos do mundo, há mais um banco brasileiro, o Itaú Unibanco, na décima-terceira posição. A classificação a partir do décimo-primeiro colocado é: ICBC (China),  Barclays (Inglaterra), Itaú (Brasil); Deutsche Bank (Alemanha); Bank of China (China); J.P. Morgan (EUA); Sberbank (Rússia); Agricultural Bank of China (China); Goldman Sachs (EUA)  e Royal Bank of Canadá (Canadá). Nesta lista dos vinte primeiros, há sete bancos de países dos Brics (Brasil, China e Rússia), totalizando a soma de US$ 93 bilhões, valor superior ao obtido pelos bancos europeus, que totalizam US$ 77 bilhões.

 

O cenário para os bancos brasileiros é bastante promissor, de acordo com o CEO da Brand Finance para a América Latina, Gilson Nunes. “A presença do Bradesco, pelo terceiro ano consecutivo, na lista das dez marcas mais valiosas do mundo, e do Itaú entre os top 20 comprovam a consolidação dos bancos brasileiros e sua tendência de valorização no cenário internacional, mediante a crise européia”.

 

Segundo Nunes, “o Bradesco assegurou a sua posição graças, principalmente, à sua política de expansão de agências, tornando a marca um ativo cada vez mais valioso na captura de novos clientes, em um país de crescimento econômico e mobilidade social”, afirma Nunes. Já o Itaú Unibanco, acrescentou, continua buscando se posicionar enquanto uma marca financeira internacional.