Automatização do comércio

0
14
Autor: Felipe Lachowski
A dona de casa, que descobre os melhores preços dos produtos na loja de roupas do bairro, após conversar com as vizinhas, está em falta atualmente, mas não extinta. O consumidor mudou juntamente com o varejo físico, que passou a ocupar um espaço online tão importante quanto o endereço que detém. A necessidade nasceu da mudança de postura, denominada shopper power, formada por clientes que consomem e divulgam a marca com maior intensidade nas redes sociais, disseminando e viralizando os produtos.
Porém, não somente a entrada deste ascendente grupo de consumidores, mas a forma como o varejo os recebe e conversa com milhões de clientes em qualquer momento da jornada de compra alteraram o espaço físico que conhecemos atualmente. E só através de um sistema integrado e funcionando em perfeita sintonia, todos os mecanismos de venda serão ativados.
O conceito do Varejo 2.0, momento em que estamos começando a viver, onde consumidores estão ávidos por informações dos produtos preferidos e buscam referências seja no Facebook, Twitter, ou novos aplicativos, por exemplo, precisa estar diretamente ligado com o alcance das ferramentas do espaço físico, para aumentar o poder de vendas do comerciante.
 Com um comércio integrado, onde todos os produtos constam em um sistema único, inúmeras possibilidades podem surgir a partir da coleta de dados e informações do padrão de consumo dos clientes, criando um CRM para o negócio, tornando a comunicação com os clientes personalizada e ampliando as possibilidades de contato com os consumidores, melhorando a experiência do cliente na loja e, quem sabe, criando um boca-a-boca nas redes sociais.
Principalmente com a crescente tendência apresentada nos últimos anos, quando o meio por onde é realizada a compra ficou em segundo plano perto da experiência vivida por consumidores em lojas físicas ou virtuais. Cada vez mais os clientes conhecem o produto na loja e compram pela internet, ou vice-versa. É o que chamamos de Omni-Channel. 
Segundo pesquisa realizada pela Deloitte nos Estados Unidos, 42% dos consumidores já usaram smartphones para apoio em compras de vestuário e 48% para compras de eletrônicos. 
Para possibilitar que seu varejo possua ferramentas suficientes para alcançar mais consumidores, é necessário ter um espaço físico modernizado, integrado e automatizado para receber diferentes clientes cada vez mais acostumados com as ferramentas sociais e prontos para se comunicarem com diferentes canais, no mesmo lugar. 
E então? Estão preparados para o futuro?
Felipe Lachowski  é CEO da pinGObox.