B2Bol totaliza R$ 267,6 bilhões em 2005

0
2


O índice de B2B Online (B2Bol®), que representa a soma dos volumes de transações entre empresa e nos mercados independentes (e-marketplaces) eletrônicos, atingiu, em 2005, R$ 267,6 bilhões, valor 37% maior do que o movimentado no ano passado, sendo que o B2B Companies, praticado via portais proprietários de empresas transacionando com sua cadeia de valor (fornecedores, distribuidores, revendedores, clientes, parceiros, etc), alcançou R$ 212,3 bilhões, enquanto o B2B realizado nos e-marketplaces independentes atingiu R$ 55,3 bilhões, no mesmo período. O B2Bol® é feito pela E-Consulting® Corp. e Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net).

Desde que começou a ser produzido, o índice vem apresentando tendência de crescimento a cada trimestre avaliado. Segundo Daniel Domeneghetti, sócio da E-Consulting® Corp. e VP de Métricas e Conhecimento da Camara-e.net, responsável pelo estudo, “o crescimento mais acentuado nesse segundo semestre de 2005 se deve, especialmente, ao bom desempenho macro-econômico do país frente à crise institucional e à manutenção dos investimentos e projetos, o que, naturalmente, aquece transações (compras e vendas), principalmente nos canais digitais. O aumento das exportações também tem, ainda que em menor medida, influencia positiva no índice”.

Além disso, o crescimento do índice foi impulsionado pela maior digitalização de processos empresariais em todos os níveis. Para Cid Torquato, diretor executivo da Camara-e.net, “as pequenas empresas estão percebendo as vantagens, principalmente em termos de redução de custos, acesso e rapidez de negociação, que o comércio on-line lhes oferece, com grande impacto na produtividade da economia brasileira como um todo”.

O setor petrolífero petroquímico se confirma ainda como dominante neste mercado, mesmo apresentando uma queda no terceiro trimestre. O setor automobilístico, por sua vez, manteve uma progressão constate, que acompanhou a evolução do índice em base anual. Mas o principal motivo de crescimento do índice B2B Companies pode ser identificado, principalmente, no crescimento das vendas de bens de consumo, saúde, fármacos e serviços de TI e Telecom.

Em conclusão, as trocas de bens e serviços entre empresas por meio eletrônico vêm demonstrando um crescimento contínuo, com taxas influenciadas por fatores conjunturais – como a questão do petróleo ou o aquecimento econômico, mas também estruturais, uma vez que tem se mantido em rota de crescimento sustentável, que prevemos continuar ao longo de 2006 e 2007 em médias acima de 31% ao ano.