Boa Vista SCPC na ajuda para vender mais

0
1
Em um período de crise econômica, rever determinados padrões, como os usados para abordar consumidores, pode ser decisivo para o futuro dos negócios. Por isso, a Boa Vista SCPC desenvolveu o Segmenta. Uma solução que identifica na carteira de clientes os perfis de consumidores que são mais propensos a determinadas ações de marketing, vendas, crédito e cobrança. Ao identificar os perfis de públicos, a ferramenta ajuda as empresas a definirem iniciativas personalizadas em investimentos que reverterão em vendas.
Como explica a diretora de produtos da Boa Vista SCPC, Maria Dolores Gil de Oliveira, o Segmenta foi desenvolvido com informações cadastrais, geográficas e de consulta ao SCPC, com o objetivo de agrupar pessoas com perfis semelhantes entre si. A aplicabilidade da ferramenta pode se dar de diferentes formas, já que a análise é feita à base de informações do cliente, apontando quais são os perfis de consumidores que mais se sobressaem. Com isso, é possível direcionar campanhas de marketing de maneira mais assertiva para os já clientes e/ou prospects.
No segmento de crédito e cobrança, o teste de canal é um exemplo da eficiência para bancos e financeiras. Por exemplo, ao identificar o jovem como o principal perfil de devedor, a empresa pode escolher um meio mais adequado para efetuar a cobrança, como o envio de SMS. Já se o perfil do devedor identificado é mais velho, recomenda-se avaliar, de acordo com os custos, o envio de mala direta ou mesmo telemarketing. 
O Segmenta pode ser usado ainda como ferramenta de geomarketing, porque auxilia na escolha de uma determinada região para abertura de um novo negócio ou investimento em mídia. E mais, é ideal para a identificação de novas oportunidades de negócios.
Perfis
Para chegar aos grupos de consumidores que compõem o Segmenta, a área de analytics da Boa Vista SCPC utilizou a metodologia estatística de clusterização, que agrupa indivíduos com características semelhantes e os separa em grupos diferentes. Os perfis definidos, inicialmente, foram: desbravadores (homens e mulheres jovens de baixa rena), ambiciosos (homens e mulheres de classe média), chefes de família (homens e mulheres de baixa renda), pessoas de negócio (homens e mulheres adultos de alta renda) e seniors (homens e mulheres idosos de baixa renda).
Com esta classificação, as empresas conseguem explorar as prospecções de mercado e aperfeiçoar a gestão de seus clientes. Ao conhecê-los, podem construir campanhas e ações mais dirigidas, com mensagens e meios assertivos.
 “A solução é viável para empresas de todos os portes e ramos de atividade. E tem ótimo custo-benefício porque sua precificação é feita por volume de consulta de forma cascata, ou seja, volumes maiores implicam um valor unitário menor”, comenta Maria Dolores.