Brasileiros usam mais o cartão

0
2

A 4ª edição da pesquisa sobre o mercado de cartões, encomendada pela Abecs, Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, ao Instituto Datafolha, mostra que a posse de cartões de crédito, de débito e de rede/loja na população aumentou de 68%, em 2008, para 72,4%, em 2011. Nos estabelecimentos comerciais, os meios eletrônicos de pagamento também ganharam mais espaço e respondem pela maior fatia de faturamento, com 54%.
O estudo da Abecs, divulgado anualmente durante o CMEP, Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento, ouviu consumidores e lojistas de 11 capitais brasileiras para conhecer seu comportamento e suas impressões em relação aos meios eletrônicos de pagamento. O levantamento foi realizado nos meses de junho, julho e agosto de 2011, registrando a opinião de, aproximadamente, 4 mil pessoas.
Entre as modalidades de meios eletrônicos de pagamento, a posse do cartão de débito entre os consumidores foi a que mais cresceu nos últimos três anos, de 53%, em 2008, para 60%, em 2011. Em seguida vêm o cartão de crédito, de 48% para 53%, e o cartão de rede/loja, de 26% para 28%. No entanto, a evolução da posse de cartão de crédito nos últimos dois anos foi muito superior quando observada no universo da classe C: de 38%, em 2009, para 47%, em 2011.
No geral, a classe A/B detém a maior posse de cartões, com 88%. A classe C possui 68% e a classe D/E, 34% – com decréscimo de 6% em relação a 2008. Na base da pirâmide social, a pesquisa revela maior distância entre os valores de posse de cartão (34%) e de conta bancária (29%). A menor participação da classe D/E deriva da ascensão social vivida no Brasil nos últimos anos, já que muitas pessoas estão emergindo para a inflada classe C.
Quando avaliados por faixa etária, os consumidores detêm maior posse de cartão nos grupos de 25 a 34 anos (79%) e de 35 a 44 anos (76%). No entanto, os crescimentos mais expressivos de 2009 a 2011 ocorreram nos extremos etários: 60 anos ou mais (de 52% para 68%) e de 18 a 24 anos (de 65% para 71%). No mesmo período, a posse de meios eletrônicos de pagamento também registrou maior crescimento entre as pessoas de escolaridade média (de 70% para 78%) e do sexo masculino (de 68% para 74%).
Nas regiões pesquisadas, Brasília é a capital com maior índice de posse de cartões (85%), inclusive quando observadas as modalidades de débito e de crédito separadamente. Por outro lado, as menores taxas de posse são encontradas em Belém (68%), Manaus (65%) e no Recife (63%). Curiosamente, a maior posse de cartões de rede/loja é de Belém, com 58% – a menor é de São Paulo, com 20%.
Sobre a expectativa de crescimento, após ouvir os não possuidores de cartão sobre a intenção de adquirir esse meio de pagamento nos próximos 12 meses, o estudo revela que a posse de cartões deve crescer o mesmo que no total dos últimos três anos, chegando a 76% em 2012.