Campanha resgata a auto-estima

0
14

Inspirada na obra de Câmara Cascudo, a frase “o melhor do Brasil é o brasileiro”, a ABA – Associação Brasileira de Anunciantes faz uma campanha dirigida a toda a Nação com o objetivo de resgatar os níveis de auto-estima do brasileiro, que está em baixa. O paranaese Vanderlei Cordeiro de Lima, de 35 anos, um dos grandes destaques do Brasil na Olimpíada de Atenas e ganhador da medalha de bronze na maratona, apesar de ter sido agarrado por um manifestante irlandês quando liderava a prova, é a figura central do filme que será veiculado nas principais emissoras de televisão do país a partir deste domingo.

A iniciativa visa inspirar e motivar toda a sociedade civil, o universo empresarial, os veículos de comunicação e as diversas instâncias públicas a desenvolverem esforços pró auto-estima do brasileiro – dentro de seus recursos, responsabilidades e escopo de atuação. A campanha tem foco nos exemplos individuais de persistência, criatividade, superação de adversidades e vitória de personalidades célebres e de pessoas comuns, que servem como inspiração para o cidadão brasileiro desenvolver sua própria auto-estima, ou seja: acreditar mais e gostar mais de si próprio e perceber-se como agente ativo para a melhoria de sua vida e da vida do seu País.

Vanderlei Cordeiro de Lima virou um símbolo de superação e garra de nosso povo dentro do conceito “eu sou brasileiro e não desisto nunca” – tema da campanha da ABA. Com o filme, a Entidade atende às inúmeras manifestações, vindas de todas as partes do país, o que demonstra o sucesso da campanha junto ao cidadão e mostra a identificação dele, com as histórias e possibilidades reais de superação. O filme, de forte carga emocional, mais uma vez utiliza a música “Tente outra vez” (de Raul Seixas, Paulo Coelho e Marcelo Motta) para mostrar o drama individual de Vanderlei na maratona, a superação ao se livrar do manifestante irlandês, o sucesso e a consagração ao entrar no estádio olímpico de Atenas e ser ovacionado.

A diretoria da ABA aceitou as sugestões, convocou a Lew,Lara – agência que atende a sua conta institucional – e contou com a ajuda do Grupo Pão de Açúcar, que cedeu o atleta, além de contribuir para a produção do filme e suas veiculações – a exemplo de inúmeras outras empresas que já aderiram à campanha.

“O desempenho do Vanderlei representou uma dupla conquista para o Pão de Açúcar. Não só pelo sentimento comum do povo brasileiro, de orgulho e euforia, mas também por isso ser fruto de um trabalho que teve início há cinco anos, quando o Pão de Açúcar começou a apoiar o atleta. O Vanderlei representa, de fato, o que o brasileiro tem de melhor: garra, alegria e determinação, que poucos povos possuem e demonstram. Estas são também algumas das características que fazem parte da filosofia do Pão de Açúcar e dos valores que criamos junto com a assinatura “Orgulho de ser brasileiro”. Ver esse sentimento de cidadania e patriotismo se disseminarem comprovam o sucesso de posturas que valorizem o nosso povo, nosso trabalho e nossas atitudes”, ressalta Eduardo Romero, diretor de marketing corporativo do Grupo Pão de Açúcar.

A campanha tem foco nos exemplos individuais de persistência, criatividade, superação de adversidades e vitória de personalidades célebres e de pessoas comuns, que servem como inspiração para o cidadão brasileiro desenvolver sua própria auto-estima, ou seja: acreditar mais e gostar mais de si próprio e perceber-se como agente ativo para a melhoria de sua vida e da vida do seu País.

Comerciais de televisão, anúncios para jornais e revistas, outdoor, spots de rádio e peças de mídia interativa constituem um dos núcleos da campanha, totalmente produzida e veiculada de forma gratuita. Para isso contribuem, além da agência e das produtoras envolvidas, inúmeros profissionais, as personalidades destacadas na campanha e os titulares dos diversos direitos autorais empregados, inclusive os direitos de uso de imagens e obras.

Da mesma forma, as maiores empresas brasileiras já aderiram ao esforço, seguindo o exemplo das empresas controladas pelo Governo Federal, empenhadas em contribuir com o movimento usando seus próprios recursos e da forma de sua própria escolha.