Carnaval contribui com inadimplência

0
0


O mês de março foi marcado pela alta do índice de cheques sem fundos, segundo dados da Telecheque, empresa especializada na concessão de crédito ao varejo. O indicador de inadimplência no período, de 3,73%, foi superior 57,38% frente ao mês anterior (2,37%) e 37,13% comparado ao mesmo período de 2005 (2,72%).

“Parte da evolução do índice de inadimplência em março deste ano ocorreu pelo fato do feriado de carnaval ter caído na última semana de fevereiro. Com isto, os cheques com data prevista para compensação neste período acabaram sendo adiados para a primeira semana de março, elevando ainda mais os índices do mês. Além disso, temos ainda os últimos reflexos das operações realizadas no Natal, em que a média de pagamento é de aproximadamente noventa dias, como também a grande oferta de crédito disponível no mercado”, explica José Antônio Praxedes, vice-presidente da Telecheque.

O valor médio do cheque transacionado no varejo foi de R$ 125,97, com alta de 11,87% no comparativo com março de 2005 (R$ 112,60). Já na comparação com fevereiro (R$ 122,54%) o aumento foi de 2,80%.

Os mais e os menos inadimplentes – Pelo segundo mês consecutivo, Mato Grosso foi o Estado com maior índice de cheques honrados (98,02%). Em relação ao indicador do mesmo período do ano passado (94,67%) foi registrada alta de 3,54%. Porém, comparado ao de fevereiro deste ano (99,31%) houve queda de 1,30%. O segundo Estado ´melhor pagador´ foi Alagoas, com índice de transações honradas de 97,15%, superior 0,65% frente ao mesmo período do ano anterior (96,52%) e inferior 1,58% comparado a fevereiro deste ano (98,71%). Em terceiro lugar no ranking ficou o Sergipe, com índice de cheques pagos de 97,10%, maior apenas 0,01% frente a março de 2005 (97,09%) e menor 0,73% em relação a fevereiro (97,81%).

O Pará registrou o maior índice de cheques sem fundos do Brasil (5,65%). No Estado ainda foi verificado crescimento da inadimplênca da ordem de 81,09% na variação mensal (3,12%) e de 34,84% na variação anual (4,19%). O Rio de Janeiro ficou na segunda posição, com índice de sem fundos de 5,47%. Na comparação com o mês anterior (3,46%) houve alta de 58,09%, e em relação ao índice do mesmo período do ano passado (4,17%) de 31,18%. Em terceiro lugar destacou-se o Estado do Rio Grande do Norte. O indicador de inadimplência, de 5,19%, apresentou elevação de 129,65% e 141,40%, respectivamente, frente ao mês anterior (2,26%) e a março de 2005 (2,15%).