CGI.br anuncia duas pesquisas

0
2



O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), por meio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), anuncia os resultados de duas pesquisas inéditas: TIC Governo Eletrônico e TIC Lanhouses. Conduzidas pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), responsável pela produção de indicadores e estatísticas do NIC.br, os levantamentos apontam dados sobre a qualidade, a abrangência e o uso dos serviços de governo oferecidos pela Internet; e um panorama geral sobre as características e o perfil de gestão das lanhouses em todo o país, respectivamente.


A TIC Governo Eletrônico englobou 157 municípios e entrevistou três mil pessoas com 16 anos ou mais, e 650 empresas, cujo resultado confirmou o potencial de crescimento do e-Gov no Brasil. Embora o percentual da população brasileira que usa serviços de governo eletrônico seja relativamente baixo (35%), mais da metade da população (56%) escolheria a internet para acessar serviços de governo na próxima vez que for necessário e outros 60% declaram-se propensos a indicar o serviço na web para as suas redes de contato.


A forma de acesso aos serviços públicos mais utilizada continua sendo o atendimento presencial, com a preferência de 60% de indivíduos. No entanto, quando o cidadão utiliza a tecnologia como mediadora do acesso aos serviços públicos, 35% citaram a Internet como principal forma de obtenção de algum serviço público, superando o uso do telefone nas centrais de atendimento telefônico dos órgãos de governo, com 8% dos entrevistados.


 “Mesmo com os altos índices de satisfação apontados, existem oportunidades para melhoria dos serviços de governo eletrônico oferecidos pela Internet, tanto na busca de serviços, quanto na facilidade de sua utilização”, diz Alexandre Barbosa, gerente do CETIC.br.

 
Desde a primeira edição da pesquisa TIC Domicílios, em 2005, as lanhouses representam uma importante fatia do número de usuários da rede mundial de computadores no Brasil. Segundo a última edição, apesar de 39% dos entrevistados afirmarem serem usuários da rede, apenas 25% dos domicílios brasileiros possuem acesso à Internet.

 
“Uma parte muito significativa do acesso dos brasileiros à Internet acontece nas lanhouses. Sem elas, o crescimento do número de internautas no Brasil teria sido bem menor. Portanto, os estabelecimentos são um importante instrumento para a inclusão digital”, diz Alexandre.

 
A 1ª edição da pesquisa TIC Lanhouses 2010 reuniu 412 estabelecimentos em 120 municípios em todo o Brasil, e apresenta, por meio de indicadores e estatísticas, um panorama geral sobre as características e o perfil de gestão das lanhouses.

Das lanhouses pesquisadas, 80% declararam ser um negócio familiar, e em sua maioria absoluta (97%) declararam ter até três funcionários. Quase a metade, 49%, disseram ser um estabelecimento com algum grau de formalidade. Esses indicadores ilustram-nas como microempresas fortemente associadas à família do proprietário, que necessitam de um baixo número de funcionários para operar o negócio.


Os estabelecimentos que oferecem produtos e serviços complementares somaram 44% dos pesquisados. Comércio de informática, assistência técnica de computadores, papelaria e lanchonete são algumas das atividades oferecidas. Considerando o cenário de informalidade do setor, é possível que muitas Lanhouses utilizem a estrutura jurídica de empresas constituídas em outros setores para garantirem a sua situação legal.

As pesquisas TIC Governo Eletrônico 2010 e TIC Lanhouses 2010 estarão disponíveis em: http://www.cetic.br.