Cheques devolvidos cai 11,5%

0
15

Em novembro, o índice de cheques devolvidos no Brasil foi de 2,36%, inferior 11,5% no comparativo com outubro (2,67%). Já em relação ao índice do mesmo período do ano passado (2,28%) houve alta de 3,6%, constatou pesquisa mensal da Telecheque, que avalia a inadimplência considerando os valores dos cheques e não a quantidade de folhas devolvidas.
De acordo com o vice-presidente da Telecheque, José Antônio Praxedes Neto, era esperada menor inadimplência em novembro, já que o índice de outubro apresentou relativa elevação, atípica para esse período, por causa da greve bancária.
“Para dezembro esperamos indicadores abaixo dos de novembro, o que não deve se repetir em janeiro, quando o índice de inadimplência deve crescer cerca de 12 % em função do início das compensações de cheques emitidos nas compras do Natal”, avalia o executivo. “Muitas vezes feitas por impulso, parceladas a longo prazo e sem a devida previsão de receitas, essas compras acabam levando ao descontrole financeiro do consumidor e impactando nos índices de inadimplência do primeiro trimestre do ano”, comenta.
Segundo a pesquisa, do total de transações com cheques 67,6% foram pré-datadas e 32,4% para pagamento à vista. O índice de cheques honrados foi de 97,05%, maior apenas 0,4% em relação a outubro, e o índice de cheques roubados foi de 0,59%, inferior 10,8% no comparativo com o mês anterior.
Cheques devolvidos nos Estados
Todos os Estados brasileiros apresentaram queda da inadimplência na comparação com outubro, com exceção do Rio Grande do Sul. Embora o índice de inadimplência no Estado (2,25%) tenha ficado abaixo da média nacional, ele representou alta de 27,2% em relação ao do mês anterior (1,76%) e de 45,4% em relação ao do mesmo período do ano passado (1,54%).
Os Estados com os menores índices de cheques devolvidos foram Santa Catarina, Goiás e Paraná, seguidos de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Em Santa Catarina, líder em cheques honrados, o índice de inadimplência foi de 1,40%, menor 1,3% no comparativo com outubro (1,42%). Em relação a novembro de 2003 (1,52%) a queda foi de 8%.

No Estado de Goiás o índice de cheques devolvidos, de 1,51%, foi 23,1% inferior comparado ao de outubro (1,96%) e 52,7% menor em relação ao do mesmo período do ano passado (3,19%). Já no Paraná, o índice foi de 1,73%, com queda de 14% no comparativo com outubro (2,02%) e de 8,8% em relação a novembro de 2003 (1,90%).
Em Minas Gerais o índice de inadimplência de novembro (2,05%) representou baixa de 12% no comparativo com o do mês anterior (2,33%) e de 6,4% em relação ao do mesmo período do ano passado (2,19%). No Estado do Rio de Janeiro o índice de 2,09% significou queda de 16,1% comparado ao de outubro (2,49%) e alta de 10,1% comparado ao de novembro de 2003 (1,89%). O Estado de São Paulo apresentou índice de cheques devolvidos de 2,60%, inferior 8,5% em relação ao do mês anterior (2,84%) e maior 12,7% em relação ao do mesmo período do ano passado (2,31%).
Maiores índices
O maiores índices de cheques devolvidos no Brasil foram verificados nos Estados da Paraíba, Amazonas e Bahia. Na Paraíba, o índice de inadimplência foi de 4,20%, com queda de 4,8% em relação a outubro e alta de 25,6% no comparativo com novembro de 2003 (3,34%). No Amazonas o índice de 3,29%, embora alto, foi inferior 27,1% comparado ao do mês anterior (4,52%) e menor 30,9% em relação ao do mesmo período do ano passado (4,76%). Já na Bahia, o índice de cheques devolvidos foi de 3,22%, o que representou queda de 12,4% comparado ao de outubro (3,68%) e alta de 30,3% comparado ao de novembro de 2003 (2,47%).