Cheques sem fundos têm alta em fevereiro

0
0


O mês de fevereiro registrou índice de cheques sem fundos de 2,37%, representando um aumento de 8,53% quando comparado ao de janeiro (2,18%). Na comparação com o mesmo período de 2005 (2,16%) a alta foi maior, de 9,79%, segundo dados da Telecheque, empresa especializada na concessão de crédito ao varejo.

“A alta da inadimplência neste início de ano é reflexo, principalmente, das compras parceladas de Natal”, explica José Antônio Praxedes, vice-presidente da Telecheque. O executivo afirma ainda que “no ano de 2005 os índices se apresentaram em elevação, tanto pela alta dos juros como pela grande oferta de crédito, o que trará reflexos também para este ano de 2006”.

O valor médio do cheque transacionado no varejo no período foi de R$ 114,29, com queda de 8,71% em relação ao de janeiro (R$125,20). Porém, comparado ao verificado em fevereiro de 2005 (R$ 111,80) houve elevação de 2,23%.

Bons e maus pagadores – Mato Grosso foi o Estado que apresentou maior índice de cheques honrados em fevereiro (99,31%), superior 5,84% frente ao mês anterior (93,83%) e 0,97% em relação a fevereiro de 2005 (98,36%). O segundo colocado no ranking de ´bons pagadores´ foi Alagoas, com índice de transações pagas de 98,71%. O indicador representou ligeira alta, de 0,26%, em relação ao mês anterior (98,45%) e de 1,15% frente ao índice do mesmo período do ano passado (97,59%). Em terceiro lugar ficou Santa Catarina. O indicador de transações honradas foi de 97,91%, com queda de 0,33% em comparação com fevereiro do ano passado (98,24%) e alta de 0,06% frente ao mês anterior (97,85%).

O Estado que apresentou maior índice de cheques sem fundos foi o Rio de Janeiro (3,46%). Na comparação com o mês anterior (2,38%) houve crescimento da inadimplência da ordem de 45,82%, e frente a fevereiro do ano passado (3,01%) o aumento foi de 15,06%. Em seguida ficaram o Pará e o Amazonas. No Pará, o índice de cheques sem fundos foi de 3,09%, apresentando diminuição de 5,01% em relação ao mesmo período do ano passado (3,25%), e alta de 11,81% comparado ao de janeiro (2,76%). No Amazonas, o indicador de inadimplência, de 2,87%, caiu 10,94% e 30,19%, respectivamente, na comparação com o mês anterior (3,23%) e a fevereiro de 2005 (4,12%).