Cheques sem fundos ultrapassam 3,4 milhões

0
11


Os índices de inadimplência no País intensificaram sua alta no mês de agosto. A devolução de cheques sem fundos atingiu 20,1% no período, é o que revela a análise da Equifax, empresa fornecedora de soluções para gestão de negócios. Na comparação com agosto de 2005, ocorreu aumento tanto de títulos protestados quanto de cheques devolvidos. Os protestos cresceram 14,7%. Foram 728.241 títulos em agosto de 2005 contra 634.989 em agosto de 2004.

Em relação ao número de cheques sem fundos foram 570 mil cheques a mais devolvidos na comparação com o ano passado. Em agosto de 2005, a devolução foi de 3.405.514 cheques, já em 2004, no mesmo período foram devolvidos 2.835.654. É a maior quantidade já verificada para o mesmo período em toda série da Equifax iniciada em 1995.

Agosto X Julho – A inadimplência cresceu significativamente em relação a agosto do ano passado e também subiu em relação a julho. Em relação a julho de 2005, o número de protestos permaneceu praticamente estável, apenas queda de 0,1%, mas o número de cheques devolvidos cresceu 7,0%. Esse crescimento é importante porque no mês de agosto normalmente há uma redução das devoluções na comparação com julho. O final das férias provavelmente estimulou um comportamento mais prudente do consumidor.

Para o assessor econômico da Equifax, João Pamplona, os números demonstram que a forte tendência de alta verificada em junho, e que havia diminuído em julho, voltou agora em agosto. As causas, do ponto de vista macroeconômico, estão na desaceleração da atividade econômica, na estagnação da remuneração dos trabalhadores e na trajetória ascendente das elevadíssimas taxas de juros reais praticadas no País. “A modesta redução da taxa Selic na última reunião do Copom não deve alterar o quadro macroeconômico acima descrito, portanto o prognóstico para os próximos meses é de inadimplência alta”, diz Pamplona.