Claro alcança rentabilidade recorde

0
3
A Claro conquistou no primeiro trimestre deste ano os melhores resultados de sua história. Empresa do Grupo América Móvil, a operadora registrou EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 590 milhões, representando um crescimento de 147,2% em relação ao 1º trimestre de 2006. Este resultado equivale a mais de 55% do EBITDA de todo o ano passado e representa quase o dobro do registrado no 4º trimestre de 2006. A margem EBITDA atingiu a marca de 27,4%, resultado 14 pontos percentuais acima do mesmo período do ano passado. O lucro operacional (EBIT) alcançou R$ 168 milhões no 1º trimestre. A empresa atribui o crescimento à eficiência na gestão, focada em resultados.
“Uma empresa que opera serviço de autorização pública tem o dever de ser eficiente na gestão de seus custos para oferecer o melhor aos clientes. Estamos melhorando continuamente a eficiência na gestão em todos os níveis, buscando redução de custos para, assim, repassar essas vantagens aos clientes. Oferecemos o mais completo e inovador portfólio de serviços do mercado, com tarifas competitivas, e celulares de última geração a preços acessíveis. A Claro está imprimindo alta competitividade ao mercado brasileiro”, afirma João Cox, presidente da Claro.
A receita líquida de serviços da Claro no 1º trimestre avançou 25,5% frente ao mesmo período de 2006, alcançando R$ 1,984 bilhão. A receita líquida total atingiu 2,2 bilhões, avançando 21,1%. A base de clientes da Claro cresceu 26,5% em relação ao 1º trimestre de 2006, passando de 19,4 milhões para 24,6 milhões. Com isso, a empresa alcança uma participação de mercado de 24,09%, aproximando-se da primeira colocada e em ritmo acelerado: nos últimos 12 meses, a Claro foi a operadora que mais cresceu em participação de mercado. No 1º trimestre deste ano, a empresa respondeu por 32,6% das vendas líquidas de novas linhas celulares no país. Levando em conta apenas o segmento pós-pago, a participação nas adições líquidas chegou a 52,1 %. Já o número de clientes pós-pagos cresceu 34,4%, enquanto o de pré-pagos cresceu 25%, na comparação com o 1º trimestre de 2006.
Destaque em atendimento – Para chegar nesses resultados, a Claro tem investido na qualidade dos serviços e no atendimento ao cliente. Como conseqüência, tem melhorado os indicadores de qualidade. No SAC da Anatel, entre as grandes operadoras do mercado, a Claro é a menos reclamada, com 0,17 queixa por mil assinantes. Em estudo realizado pelo Inmetro em parceria com o IBRC (Instituto Brasileiro de Relações com o Cliente) nos SACs das operadoras de telefonia móvel, a Claro foi a que obteve a melhor pontuação. “Já somos a melhor operadora móvel em atendimento no Brasil. Mas vamos melhorar ainda mais. Nossa meta é ser referência em atendimento, não só no nosso setor”, afirma João Cox.
E o foco no cliente, para a Claro, não se trata apenas de uma estratégia de crescimento no mercado, é uma questão de responsabilidade social. A Claro está ampliando seu projeto-piloto, iniciado no Rio de Janeiro, e disponibilizando treinamento a todas as equipes de atendimento em todo o país para qualificá-las ao relacionamento com os clientes surdos. “A telefonia celular, por meio das mensagens de texto e multimídia, inseriu este público num novo mundo de possibilidades de comunicação. Nosso negócio tem uma função social importante”, completa o presidente da Claro.