Classe C diminui compra de supérfluos

0
5
O consumo da cesta de produtos de limpeza, higiene e beleza, bebidas (alcoólicas ou não), perecíveis e outros itens de mercearia caiu 0,7% em volume de vendas. O dado que faz parte da pesquisa Tendências Nielsen aponta ainda que a queda foi ainda maior, se compararmos junho a agosto deste ano com o mesmo período no ano passado. A diminuição foi de 2,9%. Segundo Paula Valadão, analista de mercado da Nielsen, a cesta de produtos analisada deve ter uma retração de até 1,8% no fechamento de 2015. O destaque ficou para o segmento de higiene e beleza, que consegue crescer por marcas mais baratas ou embalagens econômicas.
 
Na opinião de Paula, o país vive o pior cenário consumo desde 2009, principalmente porque a previsão de inflação para 2015 é de 9,9%, visto que em 2009 foi de 4,3%. E a crise de confiança reflete no dia a dia dos consumidores. “O índice de confiança global da Nielsen mostrou que em 2009 os brasileiros eram mais otimistas, atingindo 108 pontos (oito pontos acima da média global). Agora, em 2015, está em 79 (21 pontos abaixo da média global). Ou seja, brasileiros estão mais pessimistas, principalmente sobre suas expectativas em relação à economia, gastos e empregos. Já a variação da cesta Nielsen manteve o crescimento de 1,3% em 2009 e para este ano, até agosto, já temos queda de 0,7%”, destaca ela. 
Classe C
De junho a agosto deste ano, itens da cesta básica tiveram aumento de 0,9% em volume de vendas. A analista explica que os consumidores da classe C estão mais endividados e são os que mais “cortam” itens supérfluos das compras. Priorizando, assim, alimentos e produtos de necessidade básica. Sendo que no período quase 60% das categorias supérfluas perderam penetração na classe C. Essa, aliás, continua estabilizando o consumo com baixa variação do ticket e gasto médio. Ou seja, gasta cada vez menos na comparação com outras classes sociais. 
 
Atacarejo cada vez mais atraente
O consumidor ainda busca economia no Atacarejo, por isso é o canal que vem ganhando mais fidelidade e novos compradores. Hoje, ele passa a ser o mais alternado com outros canais. Segundo dados Nielsen, cerca de 1,5 milhão de lares começaram a mixar sua compra entre Bar, Mercearia e Atacarejo. E essas compras realmente trazem economia, já que os novos compradores desse canal passam a gastar 5,8% menos com a cesta, mas sem diminuir o tamanho do carrinho.