Compra online internacional supera nacional

0
13
Compradores online internacionais (aqueles que gastam mais de 10% de suas compras online em mercados internacionais) hoje já gastam cerca de duas vezes mais que os consumidores online que só compram no marcado nacional, afirma a nova pesquisa do PayPal e da Ipsos. O estudo, que investigou os hábitos de compras online de mais de 17.500 consumidores em 22 países, também revela oportunidades e melhores práticas para comerciantes que desejam aumentar o volume de negócios de vendas online internacionais neste mês de dezembro e nos meses seguintes. “Os resultados de nossa pesquisa podem ajudar os comerciantes a ter acesso ao mercado mundial em expansão, pois identificam oportunidades de comércio em todo o mundo” diz Anuj Nayar, diretor sênior de iniciativas globais do PayPal. 
As compras online internacionais são mais relevantes na Áustria, onde 83% dos consumidores online fazem compras internacionais, em Israel (82%) e na Austrália (75%). Inversamente, compras online internacionais são relativamente raras na China, onde apenas 26% dos compradores online informaram que fazem compras internacionais. Já, nos Estados Unidos, esse percentual é de 30% e na Polônia 35%.
Entretanto, em breve a China pode se tornar um grande mercado para o comércio internacional. Nesse mercado, 52% dos consumidores online disseram que planejam começar a fazer ou aumentar suas compras internacionais nos próximos 12 meses, dando ao país o terceiro maior crescimento projetado, atrás do México (59%) e da Rússia (54%).
Roupas e calçados são as mercadorias mais procuradas por compradores online internacionais, representando 39% das compras online no exterior. Essa é a categoria dominante em todas as regiões: América do Norte (33%), América Latina (47%), Oriente Médio (47%), Europa Ocidental (33%), Países Nórdicos (36%), Europa Central e Leste Europeu (50%) e Ásia-Pacífico (43%). Produtos eletrônicos é a segunda categoria mais popular, com 26% de todas as compras online internacionais. Entretanto, ela não se mantém na segunda posição em todas as regiões. Na região Ásia-Pacífico, ocupa o terceiro lugar, atrás de cosméticos e produtos de beleza; nos Países Nórdicos, fica em quarto, atrás de entretenimento físico (como livros e DVDs) e de viagens & transportes; e na América do Norte, ocupa a distante quinta posição.
Quanto se trata do país de origem, as mercadorias dos Estados Unidos e da China são as mais populares, representando 26% e 18% de todas as compras online do exterior, respectivamente. América do Norte, América Latina, Países Nórdicos e Oriente Médio preferem mercadorias norte-americanas, enquanto as compras internacionais da Europa Ocidental são dominadas por produtos alemães e os consumidores da Europa Central e do Leste Europeu compram com mais frequência da China.
O custo com frete tem importância para consumidores online que fazem suas compras no exterior. Mais da metade (51%) dos que fizeram compras online internacionais dizem que os custos com entrega os impedem de comprar com maior frequência de outros países. Do mesmo modo, 47% de todos os compradores online dizem que o frete grátis tornaria mais provável a compra de produtos de outro país. Já 51% de todos os usuários adultos de internet dizem que o frete ou a postagem grátis para devoluções é “essencial”. 
“Os avanços da tecnologia estão ajudando a abrir oportunidades de comércio para todos – entre fronteiras, em qualquer lugar, a qualquer hora e via qualquer dispositivo,” reforça Mário Mello, diretor geral do PayPal para a América Latina. “Chamamos isso de “The People Economy” (em português, A Economia das Pessoas), e o PayPal lidera esse movimento ao facilitar e tornar mais seguro e mais intuitivo o modo como as pessoas pagam – onde e quando elas quiserem.”