Confiança do paulistano começa a crescer

0
5
O Índice de Confiança do Consumidor, ICC, da cidade de São Paulo chegou a 110,5 pontos em agosto tendo um crescimento de 0,9%, em relação ao mês anterior. Na comparação com agosto de 2013, no entanto, o indicador apresentou queda de 16,9%. O índice varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total) e revela a percepção das pessoas sobre a situação atual da economia e é usado tanto pelos comerciantes, quanto pela indústria como balizador para novos investimentos. A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, FecomercioSP.
 
Pelo segundo mês consecutivo, o público feminino apresentou alta no indicador, com crescimento de 4,3% sobre o mês anterior ao atingir 111,0 pontos. Consumidores que ganham a partir de dez salários mínimos também elevaram o otimismo, com alta de 4,7% no mesmo período. Já o público masculino ficou menos confiante, com recuo de 2,3%, chegando aos 110,1 pontos. Consumidores com rendimento inferior a dez salários mínimos apresentaram queda de confiança de 0,8% em relação a julho.
 
Os dois subíndices que compõem o indicador de confiança apresentaram aumento. Enquanto o Índice das Condições Econômicas Atuais, ICEA, subiu 0,8%, aos 110,1 pontos, o Índice de Expectativas do Consumidor, IEC, cresceu 1,0%, atingindo os 110,8 pontos. Para a FecomercioSP, o mês de agosto aponta que o consumidor está mais confiante, tanto com sua situação atual quanto ao seu futuro. O arrefecimento dos índices de inflação observado nos últimos meses, aliado à segurança de emprego são fatores importantes para o impulso positivo da confiança do consumidor.
 
Os dados do ICC são coletados de aproximadamente 2,1 mil consumidores do município de São Paulo. O objetivo da pesquisa é identificar o sentimento dos consumidores levando em conta suas condições econômicas atuais e suas expectativas quanto à situação econômica futura.