Consumo crescente

0
2



O faturamento das categorias com foco em entretenimento aumentou 5,5% em 2012 na comparação com 2011, percentual bem acima do alcançado pelo mercado de bens duráveis como um todo (1,8%). A conclusão faz parte do estudo realizado no varejo brasileiro pela empresa global de pesquisa de mercado GfK. Os resultados do estudo, que considerou 75 categorias de produtos, foram divulgados na segunda etapa da 9ª Conferência Anual GfK Consumer Choice.


Em 2012, o faturamento total do mercado de bens duráveis chegou a R$ 97,4 bi. As 14 categorias de produtos com foco em entretenimento faturaram R$ 61,3 bi. O ganho de importância dos produtos com foco em entretenimento, nas vendas totais do mercado de bens duráveis saltou para 63% contra 61% em 2011.


“Praticamente todas as categorias que formam a cesta de entretenimento – que inclui brinquedos, calçados esportivos, games, TVs de tela fina, notebooks, smartphones, entre outros – vêm apresentando crescimento. Existe sim uma evolução mais acelerada para esse segmento, fazendo com que ele ganhe cada vez mais importância, impulsionado especialmente pelas vendas de brinquedos e itens de alta tecnologia”, explica a gerente de unidade de negócio varejo da GfK, Simone Aguiar.


Outros destaques de 2012

A auditoria da GfK mostra ainda que a região que mais cresceu em faturamento foi a nordeste (8,8%), seguida pelo Interior de SP (5,1%) – esta que passou a ser a principal região dentro do faturamento nacional, representando 19%, se destacando no consumo de itens da linha marrom, telefonia e foto. O Interior de SP perde em importância apenas na linha de entretenimento. Nesse segmento, o destaque fica com a Grande SP, que responde por 25% do faturamento total.

Quanto à evolução dos canais de vendas, as lojas especialistas reduziram seu faturamento -2,1% entre 2011 (R$ 78,1 bi) e 2012 (R$ 76,4 bi), enquanto as lojas generalistas (hipermercados, lojas de departamentos, e-commerce sem loja física, etc.) cresceram em 19,5% entre os dois anos (R$ 17,6 bi contra R$ 20,9 bi). Com essa evolução mais acentuada dos generalistas, novamente o canal ganha participação, passando a representar 22% do faturamento total.


No canal especialista, o foco de crescimento das categorias recai sobre entretenimento e brinquedos, enquanto nos generalistas são as categorias de eletroeletrônicos (linhas branca e marrom, telefonia, etc.) que apresentam altas mais expressivas.


De acordo com a GfK, entre as 75 categorias analisadas, games softwares (jogos para videogames e PCs), foi a categoria que apresentou percentual de crescimento no faturamento 2012 vs 2011, (133,8%), seguida por fritadeiras elétricas (86,9%), tablets (85,8%), cortadores de cabelo (81,9%), bebedouros (56%), consoles para videogame (53,6%), smartphones (47,1%), e brinquedos de montar (34,9%).


Tendências

Nos próximos anos, a GfK acredita que o consumidor irá focar sua procura por produtos que tenham o apelo da sustentabilidade. O crescimento do potencial de consumo de moradores de favelas e comunidades de periferia – que vêm investindo em bens duráveis, principalmente linhas branca e marrom – também é destacado como tendência.  “Os anúncios do governo sobre incentivos fiscais para fabricação local de itens ligados à alta tecnologia, principalmente de televisores 3D visando a Copa do Mundo e as Olimpíadas, também indicam que o consumo ganhará movimento”, completa Simone.