Cresce o uso de cartões entre os idosos

0
0


Com presença crescente na população economicamente ativa e com expectativa de vida maior, as pessoas com mais de 60 anos, a chamada Terceira Idade, recorrem cada vez mais ao cartão de crédito como instrumento para facilitar e parcelar as compras. Em 2005, essa faixa etária respondeu por 10,7% do valor das compras feitas com cartão no país, somando R$ 13,6 bilhões.

Em comparação com os portadores que têm até 59 anos, a terceira idade concentra proporcionalmente mais compras com cartão de crédito nos ramos de alimentação, turismo & entretenimento e saúde. Sinal de que o cartão, pela facilidade de uso e de acesso fácil ao crédito, é também um aliado da qualidade de vida da população dessa faixa etária.

Os dados foram divulgados à imprensa por Fernando Chacon, diretor-executivo de Marketing da Credicard, durante apresentação do estudo exclusivo A Terceira Idade e o Cartão de Crédito, que faz parte da pesquisa Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento, realizada pela Credicard. Para 2006, o estudo prevê que o número de cartões de crédito entre as pessoas de 60 anos ou mais crescerá 24%, acima do crescimento do mercado, estimado em 20,3%.

Para enriquecer o estudo sobre o perfil de uso do cartão de crédito das pessoas com mais de 60 anos, a Credicard utilizou como cenário uma série de dados demográficos e análises* das características do consumidor dessa faixa etária, relacionando as informações com o perfil do uso do cartão de crédito. Chacon destacou a importância cada vez maior da Terceira Idade do ponto de vista econômico e social. A população de mais de 60 anos tem esticado a vida economicamente ativa, trabalhando até mais tarde, sendo cada vez mais responsável pelos lares. Em 2004, 20% do total da população responsável pela manutenção da casa tinha 60 anos ou mais, o que representa, em números absolutos, 11,6 milhões de pessoas. O rendimento médio dessa faixa é superior ao dos jovens. O número de responsáveis econômicos pela manutenção da casa no Brasil passou de 48 milhões de pessoas, em 2000, para 56 milhões, em 2004.


*dados do Censo Demográfico 2000 e PNAD 2004