Crise traça novo cenário na área de software

0
12



As mudanças nas perspectivas futuras do cenário econômico mundial já desenham novos movimentos no segmento de software. Com a crise, a área financeira volta a ter maior controle sobre as decisões de investimentos nas empresas, direcionando as oportunidades especificamente para os sistemas que têm impacto direto sobre as vendas, controle de desempenho e de custos. É o que prevê o analista de software para a América Latina da IDC, Julio Pagani, na tentativa de identificar as oportunidades de negócio nesse segmento, frente às novas prioridades que virão com as mudanças na economia.

 

“O ano de 2007 registrou crescimento em praticamente todas as áreas: Banco de Dados, Middleware, Portais, ERP, Supply Chain e Segurança. Já, o primeiro semestre de 2008 caracterizou-se principalmente por um crescimento concentrado em ERP, CRM, gerenciamento de sistemas e redes. A partir deste momento, os investimentos, com certeza, voltarão para o básico”, afirma Pagani.

 

Assim, futuros investimentos em software irão se destacar pela possibilidade de um maior incremento nas vendas, controle do desempenho e de custos. O segmento de CRM, por exemplo, deverá receber mais investimentos das empresas especificamente nas suas funcionalidades relativas às vendas. “Nesse caso, o retorno poderá ocorrer rapidamente, seja com uma redução do ciclo médio de vendas, a geração de novas oportunidades, aumento do ticket médio, entre outros”, avalia. Também o software de ERP continuará a atrair investimentos. “Estes, por sua vez, estarão concentrados especialmente nos módulos associados ao controle de custos e despesas, como as funcionalidades de estoque, compras, gestão de ativos e performance financeira”, prevê o analista.

 

Ainda nessa linha, Pagani aponta oportunidades de negócios nas soluções de Business Intelligence, “já que num momento de crise os gestores precisam minimamente de um painel de indicadores para controlar o desempenho de sua área e reportar-se às suas instâncias superiores, que voltarão a monitorá-lo mais de perto”. Além disso, atendendo à necessidade de reduzir custos, “os softwares específicos para virtualização também atrairão investimentos pela melhoria do gerenciamento de dados. E é aí que as empresas devem obter economia significativa com a racionalização das compras de hardware e otimização do espaço nos data centers”, sinaliza Waldemar Schuster, analista regional da IDC.

 

Por outro lado, Pagani acredita que, com a crise, os projetos de SOA serão impactados negativamente, bem como as aplicações verticalizadas específicas para determinada indústria. Os projetos relativos à convergência, que englobam a integração de sistemas, também serão postergardos.