E-consumidor gasta 10 vezes mais

0
5
O E-consumidor gasta 10 vezes mais que cliente tradicional. É o que mostra a pesquisa desenvolvida pela Cetelem, em parceria com a Ipsos, com relação ao ano de 2006. O estudo da consultoria aponta que o usuário médio de sites de e-commerce no Brasil tem renda disponível média de 989, 35 reais, enquanto clientes que não costumam fazem compras online têm rendimentos mais de dez vezes menores (86,52 reais).
Mesmo com a elitização, a renda média de consumidores que já comprara pela rede caiu no período, indicando uma ainda tímida “popularização” do serviço. Em 2005, a cifra que chegou a quase mil reais no ano passado, era o dobro, atingindo 1.827,61 reais.
O estudo mostra também que a intenção de compra pela Internet cresce no mesmo ritmo no período – enquanto 17% dos entrevistados em 2005 afirmaram ter interesse no e-commerce, 19% disseram o mesmo no ano seguinte, dentro de um universo em que 26% dos brasileiros têm acesso regular à Internet.
O cartão de crédito aparece como o meio de pagamento mais popular, utilizado 69% dos clientes, seguido por boleto bancário (25%), depósito identificado (5%) e crediário online (1%). No entanto, mesmo popular, o cartão de crédito figura como principal razão para que muitos usuários não comprem on-line – 55% afirmaram que não aproveitam o e-commerce por não possuirem o benefício. A falta de segurança nas transações eletrônicas aparece logo atrás, com citação de 42% dos entrevistados.