Educação motiva compra de PC

0
8


Com o objetivo de identificar a evolução da penetração de equipamentos eletrônicos nos últimos anos e, conseqüentemente, o comportamento do consumidor em relação às novas tecnologias, a Intel encomendou à empresa Research International uma pesquisa. O estudo foi realizado com o público das classes A, B e C, de 18 a 45 anos, do Brasil, México, Argentina e Colômbia, no segundo trimestre de 2006, com cerca de 700 pessoas em cada país. O estudo mostra que a educação continua sendo um dos principais motivos apontados para a compra de um PC.

No entanto, as funcionalidades mais utilizadas são e-mail, Internet, mensagens instantâneas e músicas. Provavelmente isso se dá pelo fato de que o brasileiro se interessa mais por informações gerais e por estar em contato com outras pessoas, diferentemente de mexicanos e colombianos, que utilizam mais o PC como ferramenta para a educação formal.

Entre os entrevistados brasileiros, 46% possui PCs sendo que 6% são notebooks. O número é muito próximo ao do México (43%, com 11% de notebooks), da Colômbia (48%, com 4% de notebooks) e da Argentina (49%, com 3% de notebooks). Entre os eletrônicos que mais estão presentes nos lares dos brasileiros, aparecem nessa ordem: televisão, celular, PC, aparelho de DVD, câmera digital, viodeogame e filmadora digital. Nos demais países, esses mesmos itens também aparecem nas primeiras posições.

As iniciativas do governo brasileiro como a redução dos impostos dos PCs já refletiram na pesquisa. Em comparação aos números do segundo trimestre de 2005, a compra de PCs novos ao invés de usado dos brasileiros aumentou de 72% para 80%. Dentre essas pessoas, 80% pretendem comprar um desktop e 14% um notebook, número semelhante à Colômbia. Já no México, a intenção de compra de notebooks é de 24%. Ao decidir comprar o segundo PC, o brasileiro busca melhor performance, ou seja, melhor processamento e mais memória.