Educação para o consumo consciente

0
2


A Secretaria Estadual da Educação e o Fórum Estadual de Defesa do Consumidor do Rio Grande do Sul assinaram na última quarta-feira, dia 14 de março, um termo de cooperação técnica. Durante 12 meses, alunos do ensino fundamental das escolas públicas estaduais receberão informações sobre consumo consciente por meio de exemplos práticos relacionados ao cotidiano dos jovens. O tema será inserido espontaneamente durante as aulas, em disciplinas como matemática, português, geografia e história, além de outras atividades educativas. O acordo firmado hoje foi endossado pelo Ministério Público Estadual, Procon, Centro de Educação do Consumidor (CEC) e Instituto Arte, Meio Ambiente e Educação (AME).

A secretária da educação Mariza Abreu, salientou que “somente com a otimização de esforços é que poderemos, neste momento, superar as dificuldades que o Estado enfrenta”. Acrescentou que a escola é a maior ferramenta de capilarização de ações e conceitos que pode existir, “apenas a rede de ensino estadual tem 1,3 milhão de estudantes. Somando-se a isso os familiares imagine o universo que podemos alcançar”. Ela destacou o modo como o tema vai ser aplicado nas escolas. “Será uma atividade interdisciplinar, que se incorporará aos conteúdos de diversas áreas, tornando-o mais próximo da realidade das crianças e suas famílias”.

A escola Bahia, localizada no bairro Boa Vista, em Porto Alegre, será a primeira a pôr em prática a parceria. A escolha foi intencional: o contraste entre o padrão de vida dos alunos, carentes, e os moradores da região, de classe média-alta. “O principal objetivo do trabalho é a valorização do ser humano como ele é, despido de grifes, do que ele tem ou aparenta, para a formação de uma consciência cidadã baseada em princípios morais e éticos, e não em posses ou imagem”, conclui Maria de Lourdes Coelho pedagoga e criadora da metodologia de ensino do consumo consciente nas escolas.