Educação: um novo desafio para a TI

0
8


A queda na qualidade do ensino público nas últimas décadas e o crescimento vertiginoso da oferta de ensino privado no Brasil fizeram com que a competição no setor educacional se tornasse muito acirrada. Nesse cenário, as faculdades, escolas e outras instituições têm investido cada vez mais em melhorar a qualidade de serviços, buscando maior agilidade e eficiência nos processos internos.

Visando atender às necessidades desse nicho de mercado, reside um grande potencial para as empresas de tecnologia, uma vez que a otimização de processos só é atingida de forma satisfatória com o uso de sistemas de gestão.

No Brasil, as poucas instituições que contam com sistemas de gestão educacional integrados estão à frente das outras, melhorando ainda mais suas posições competitivas, pois diminuem os tempos e principalmente os custos de uma série de operações. Além disso, esse tipo de ferramenta auxilia muito no planejamento financeiro e na realização de orçamentos, essencial para uma época em que as margens de lucro das instituições diminuem e a inadimplência aumenta.

O investimento em tecnologia contribui na obtenção de dados gerenciais, já que ela integra as áreas financeira e administrativa, possibilitando tomadas de decisões mais precisas. Isso é completamente unificado com serviços para os alunos, como secretaria virtual, controle acadêmico, portal educacional e gerenciamento de biblioteca, que os permitem, por exemplo, consultar extratos de pagamentos, boletins escolares e conteúdo das matérias por meio da home page do estabelecimento.

Portanto, para garantir a saúde financeira das instituições de ensino, não basta apenas a existência de um projeto pedagógico competente, é preciso investir também num modelo de gestão educacional, pois ele ajuda a contornar situações como o aumento da inadimplência e da evasão escolar, que acarretam em perdas de receitas. Com as ferramentas corretas nas mãos, as tomadas de decisões relacionadas ao controle das despesas se tornam mais rápidas e precisas, tornando-se mais fácil se manter em um mercado tão difícil.

Márcia Uehara é diretora comercial e de marketing da RM Campinas.