Escassez de dados afeta provedores

0
0



A Amdocs, provedora de sistemas para experiência do usuário, anuncia o resultado de uma pesquisa que atesta a maturidade do mercado de telecomunicações frente à escassez de dados. A pesquisa foi realizada com mais de 30 empresas em todo o mundo e traz um retrato de como as operadoras de telefonia móvel estão enfrentando a escassez de capacidade de dados, a seriedade deste assunto, quais são seus efeitos e o que as operadoras têm feito.


Conduzida pela Telesperience, o estudo contemplou operadoras móveis de portes diferenciados e traz evidencias concretas de que a escassez de dados está afetando os provedores de serviços móveis no mundo.
63% das provedoras de serviços entrevistadas declararam que já puderam experienciar a escassez de capacidade de dados. E 20% desta amostra confirma que o trafego intenso colabora para sobrecarregar os sistemas na maioria das vezes.


Entitulado de “Capacity Crunch”, o estudo demonstra que a causa desta sobrecarga varia de acordo com as diferentes regiões. As operadoras asiáticas citam os serviços de banda larga móvel para laptops como a causa principal, enquanto os respondentes norte-americanos acreditam que os smartphones e planos de dados ilimitados são os pontos mais críticos. Na Europa, este retrato é mais variado, com smartphones, planos de dados ilimitados e banda larga. De modo geral podemos concluir que o rápido e crescente número de smartphones e seu uso têm gerado mais tráfego do que as operadoras podem suportar.


A principal conseqüência da escassez de dados, segundo os respondentes, é o seu efeito frente à experiência do consumidor, que se queixa sobre serviços de dados de má qualidade e o risco da portabilidade para outras operadoras. Em contrapartida, os serviços de voz não parecem ter sido afetados.


Além de retratar o problema da escassez de processamento de dados no mundo, o estudo traça um paralelo das conseqüências que as operadoras vêm sofrendo. A reputação de marca já é impactada pela reclamação de clientes e a portabilidade atesta isso. Afinal, enquanto as operadoras optam por expandir sua capacidade adotando novas tecnologias, os planejadores de redes estão cientes dos desafios crescentes de gerenciar a capacidade e configurações de Ethernet e torres de celular de alta velocidade que irão necessitar desenvolvimento de engenharia sofisticada e ferramentas de planejamento no futuro. Além disso, o estudo aponta ainda que outras estratégias complementares são essenciais para direcionar os rápidos e crescentes níveis de tráfego de dados.

 

Para acessar o estudo na íntegra, visite: http://www.osstransformation.com/DataCapacitySurvey.aspx