Estratégia mais alinhada

0
8
Autora: Thais Antoniolli
As transformações digitais têm trazido muitas mudanças e, mais do que isso, oportunidades com impactos profundos na maneira como as marcas se relacionam com seus clientes. A mensuração de resultados relacionados à exposição na chamada mídia espontânea segue, sem dúvidas, esse curso de inovações.
Ferramentas de Inteligência Artificial e Machine Learning já são a base de plataformas de monitoramento cada vez mais precisas, que permitem avaliar o real impacto das iniciativas de comunicação das empresas com seus públicos-alvo, e, até mesmo, o modo como essas ações influenciam seu comportamento de consumo.
Isso porque, além de validar o alcance do conteúdo, agora é possível ter acesso a dados que demonstram quando, como e onde essas informações foram “consumidas”. Por exemplo, se o leitor lê um artigo sobre a Nike e, em seguida, vai para o site da empresa para comprar algo, podemos correlacionar que a leitura o levou à decisão de compra.
Estamos falando sobre dados de engajamento muito mais ricos e detalhados do que aqueles obtidos até pouquíssimo tempo atrás. Por meio deles, as empresas já chegam a métricas de ROI muito mais fiéis à realidade, com relatórios compostos por dados de conversão, como compras ou leads gerados.
A integração e o cruzamento dessas informações oferecidas pelas novas tecnologias ainda capacitam empresas a identificarem os principais influenciadores, para compor e distribuir conteúdo de modo muito mais acertado e alinhado à estratégia de negócios das companhias. Por isso, junto com essas inovações, surge uma nova relação, muito mais estreita, entre áreas de Comunicação & Marketing e Business Intelligence.
Encontrar – e acionar – o influenciador correto para determinado momento pelo qual passa uma marca ou empresa pode ser um tiro certeiro. Nos Estados Unidos, onde existe uma rígida regulamentação que exige que se deixe muito claro quando a publicação é uma iniciativa paga, muitas marcas estão trabalhando com responsabilidade e corretamente este canal.
A segmentação cada vez mais presente nos canais de comunicação também tem sido determinante para que a mensuração da exposição na mídia esteja a cada dia menos condicionada a métricas muito utilizadas até pouco tempo atrás, e, como vemos agora, pouco estratégicas, como a equivalência publicitária e outras similares.
Thais Antoniolli é presidente da PR Newswire América Latina.