Evolução virá com mudança de cultura

0
35
Talvez, um dos grandes problemas do serviço público é a imagem que possui na sociedade. Sejam os cidadãos atendidos ou os próprios funcionários, muitos ainda acreditam que as organizações não funcionam direito e só irão trazer algum retorno positivo quando levarem alguma vantagem, o tão conhecido “jeitinho brasileiro”. Uma questão cultural que, para Daniel Annerberg, diretor presidente do Detran – SP, deve ser mudada logo, pois, segundo ele próprio, é uma das coisas que mais prejudica a avaliação do setor. “No serviço público, quando há apoio político, recursos e boa equipe, há possibilidade de implantar bons projetos. O que muitas vezes as pessoas acham que não é possível”, diz.
O executivo acrescenta que o primeiro passo, então, para qualquer organização pública seria se questionar: “Como é que eu posso atender melhor a população?”. E, por meio dessa análise, procurar por caminhos onde possa melhorar tanto a estrutura quanto na melhor capacitação dos profissionais. Aliás, ele acredita que será justamente por meio da maior modernização e conectividade, que o setor conseguirá simplificar os trabalhos, desburocratizar os processos, agilizar os serviços e principalmente propor mais transparência e ética à população. “Que são coisas que eu acho que a gente tá carente em alguns setores.”
Assim, desde 2011, o Detran vem passando por uma reformulação e modernização na sua estrutura, cujo objetivo é conseguir melhorar a qualidade no atendimento oferecido ao cidadão – seja no presencial ou no online. Tanto que já foram inauguradas 89 unidades no novo padrão, que já possuem uma média de 94% de aprovação dada pelos próprios usuários. “Isso é fundamental, pois vemos que estamos fazendo de acordo com o que a população precisa”, avalia o diretor.
Além disso, o portal também já conta com 23 serviços eletrônicos, entre eles segunda via da carteira de motorista, carteira definitiva e permissão internacional para dirigir. Sem contar os serviços de envio de cartas para os cidadãos que estão com suas habilitações prestes a vencer ou a perderem por excesso de multas, avisos enviados por SMS, presença nas redes sociais e em dois aplicativos, que possibilitam o acesso ao simulado da prova teórica, consulta de pontos, acompanhamento da segunda via, etc.
Annenberg acredita que por meio desses serviços oferecidos a organização simplifica, facilita, barateia custos dos cidadãos e, acima de tudo, democratiza o acesso à informação da população. “As pessoas precisam saber onde ir, qual é o horário, quanto custa, quem tem direitos aos serviços”, afirma. “Todos os serviços públicos deviam ter essa democratização, pois a gente consegue fazer com que o serviço fique muito mais próximo do cidadão.”