Exigência à engenharia

0
1


Anand Sharma

Recentemente, a tendência nas empresas norte-americanas é transferir o departamento de Pesquisa e Desenvolvimento para outros países, onde vários engenheiros da Índia ou China podem ser contratados pelo custo de um engenheiro nos EUA. Isso pode ser um erro muito caro. Embora não seja difícil encontrar profissionais competentes no exterior, essa não é a questão – a questão é a exigência dos clientes.

A qualidade dos engenheiros em países como Índia e China é alta. Como os EUA não formam a mesma quantidade de engenheiros que formavam no passado, não é de se surpreender que as empresas tenham decidido terceirizar o setor de engenharia. Entretanto, a terceirização não deveria ser abolida, mas também não deveria ser total.

O uso de talentos estrangeiros cria barreiras culturais, lingüísticas, de distância e tempo no caminho até os clientes. E contratar profissionais que não entendem os problemas dos clientes é um atestado de perda de negócios. Como o sucesso das empresas baseia-se no impulso dos clientes, devemos tomar medidas para entender e satisfazer suas necessidades. Nesse aspecto, manter um engenheiro local tem um valor inestimável.

Há tempos, testemunhamos muitas empresas trabalhando duro para integrar os desejos dos clientes em todos os aspectos dos produtos novos ou aprimorados; e a primeira etapa é envolver os engenheiros em todo o processo. Considere um engenheiro que projeta carrinhos de compra. Um engenheiro norte-americano conhecerá bem os hábitos de compra nos EUA, os profissionais da Índia ou da China estariam em óbvia desvantagem simplesmente porque fazem compras de maneira diferente.

Podemos usar esse tipo de conhecimento para ajudar as empresas a crescer. Os engenheiros são uma fonte de inovação valiosa, criando valor para os clientes ao usar criatividade e profundo conhecimento para criar novos produtos mais adequados às necessidades dos clientes.

Depois que os projetos forem criados para satisfazer as necessidades dos clientes locais, os engenheiros estrangeiros podem agregar benefícios a eles. Por um custo muito menor, eles podem realizar uma análise básica, definir detalhes e garantir a modularidade do projeto. E, é claro, os profissionais estrangeiros podem oferecer sua experiência local se você decidir expandir sua empresa para esse mercado. Mas quando transferimos projetos ou departamentos inteiros de P&D para outros países, corremos o risco de voltar aos “maus velhos tempos”, quando simplesmente sonhava-se com algo novo, sem qualquer consideração com os desejos dos clientes. Queremos que os recursos de engenharia sejam flexíveis.

Nossos profissionais devem ser capazes de atender às necessidades dos clientes acima de tudo e ao mesmo tempo permitir que nossa empresa controle os custos. Pode-se obter essa flexibilidade usando engenheiros locais e estrangeiros. Portanto, não tenha medo de terceirizar alguns recursos de engenharia, desde que isso não afete a comunicação e a qualidade dos produtos. Porém, se você quiser realmente satisfazer os clientes, seria bom manter alguns recursos vitais de engenharia no seu mercado local.

Anand Sharma é fundador e CEO da TBM Consulting Group e autor do livro The Perfect Engine (Editora Free Press, 2001). ([email protected])