Frio pode aquecer vendas

0
9
O frio chegou a São Paulo, trazendo temperaturas baixas como fazia muito tempo que não se via. Seguindo caminho contrário ao do tempo, alguns comércios do Estado tiveram suas vendas aquecidas. De acordo com a apuração da FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), a queda nos termômetros fez alguns setores comemorarem. É o caso dos vestuários, como roupas de frio, mantas e cobertores, além de varejos que comercializam aquecedores e torneiras elétricas.
Para o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff, o inverno mais ameno dos últimos anos fez com que as vendas nesse período fossem ruins. No entanto, dias de frio intenso, como os registrados, foram capazes de trazer mais movimento ao comércio. “Estamos passando por momentos difíceis no país e isso recai sobre a economia, afetando diretamente o comércio. Com as baixa temperaturas, os comerciantes estão vendendo mais nesse inverno, retomando o ânimo e restabelecendo as forças para encarar essa crise que o país passa”, afirma.
Momento para positivismo?
Para o segundo semestre, as perspectivas de vendas podem melhorar devido a chegada do inverno e ao preparo necessário para as próximas datas importantes para o varejo, como o Dia dos Pais, Dia das Crianças, Black Friday e Natal. “A troca de comando no Executivo Federal favorecerá a economia, pois o governo que foi suspenso não tinha mais nenhuma credibilidade dentro e fora do país. Esperamos que a nova equipe econômica desenvolva políticas públicas que estimulem o investimento e promova uma queda nas taxas de juros. O sucesso do varejo está vinculado à boa economia do Brasil”, explica Stainoff. “A geração de emprego, o aumento de renda e o controle da inflação serão os fatores que irão girar a economia. É com essa expectativa que entraremos no segundo semestre”, completa.