O canal para quem respira cliente.

Grupo OgilvyOne consolida operações

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



O Grupo OgilvyOne, empresa do Grupo Ogilvy Brasil especializada em marketing digital e de relacionamento, anunciou que vive o momento mais marcante da sua última década de história no Brasil. Nos últimos quatro anos, o Grupo OgilvyOne cresceu 150%, dobrando a representatividade no Grupo Ogilvy Brasil. “Acabamos de projetar crescimento de cerca de 10% para 2009, número que há um mês ainda não era possível vislumbrar por conta das incertezas no contexto econômico mundial”, comenta Renato de Paula, diretor geral do Grupo OgilvyOne Brasil e América Latina.

 

A expansão é reflexo do desempenho de cada uma das três unidades de negócio que compõem o Grupo conduzido por Renato de Paula. Uma delas é a OgilvyInteractive, agência de marketing digital, que ganhou força com a incorporação da 10´Minutos, oficializada no último mês de março. Já a NeoOgilvy, unidade especializada em search marketing e mídia digital, é uma das principais apostas do Grupo nos próximos meses. Segundo Renato de Paula, o serviço de busca ganha cada vez mais investimentos, abrindo oportunidades de negócios inovadoras para os clientes. A OgilvyOne, unidade especializada em marketing de relacionamento e inteligência de dados, repete a performance positiva. Hoje, a agência é dona de um banco de dados com mais de 25 milhões de nomes de pessoas físicas e 5 milhões de empresas.

 

“Consolidamos a fusão com a 10´Minutos e redefinimos a estrutura da agência. Esse cenário nos prepara para a nova realidade vivida pelo mercado de comunicação, especialmente as mudanças trazidas pelo fenômeno das mídias sociais”, avalia Renato de Paula, que já estuda a possibilidade de abrir uma nova unidade, voltada para a área de mobile (WAP). Hoje, pelo menos metade dos 150 milhões de celulares existentes no Brasil já possuem tecnologia para acesso à Internet, abrindo novas opções de comunicação. “Vamos respeitar a privacidade e utilizar o celular como um ponto de acesso à informações relevantes para o consumidor”, explica Renato de Paula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima