Grupo Resource amplia fábrica de software

0
1


O Grupo Resource, provedor brasileiro de soluções e serviços em TI, fechou uma parceria com a prefeitura de Americana (SP) que prevê a criação de 300 empregos em 3 anos. Em contrapartida, a prefeitura concederá a redução de até dois terços do valor do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza a ser recolhido pela empresa. O acordo provocou uma ampliação de cerca de 50% na atual fábrica de software que o Grupo Resource mantém em Americana há mais de três anos.

Segundo o prefeito de Americana, Dr. Erich Hetzl Junior, o acordo com o Grupo Resource é um marco para o desenvolvimento econômico de Americana, pois permitirá a expansão através de atividades de alto valor tecnológico agregado. “As vantagens imediatas incluem o incremento da receita direta para o município através do ISS, mas a Resource também está fortemente comprometida com nosso programa de qualificação e formação de mão-de-obra local, por meio de parceria com universidades de Americana. Estamos falando de geração de emprego e incremento da massa salarial no mercado local”, anuncia. Ele cita ainda que iniciativas como esta podem atrair para cidade parceiros e fornecedores das empresas de tecnologia, além do aumento da ocupação da infra-estrutura hoteleira, de restaurantes e de comércio em geral da cidade.

Além da criação de novos postos de trabalho, o acordo firmado condiciona o benefício fiscal a um aumento progressivo de faturamento da empresa. “Estamos comprometidos com a prefeitura em atingir um faturamento de R$ 6,6 milhões, em 2006, e R$ 18 milhões, em 2007”, confirma Gilmar Batistela, presidente do Grupo Resource. O presidente acredita que, em razão dos sinais de aquecimento do negócio e boas perspectivas do mercado, o Grupo pode mesmo chegar aos R$ 30 milhões em dois anos, na filial de Americana. Para Gilmar, esse tipo de ação de governos locais estimula o desenvolvimento. “Estamos decididos a investir fortemente na região e a concentrar as principais atividades de nossa fábrica de software em Americana”, afirma.

O projeto de lei que sela o acordo entre iniciativa privada e prefeitura terá validade de 10 anos e prevê ainda que 1% do imposto devido seja destinado ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.