Ifactus lança plano comercial diferenciado

0
16

Classificada como high-tech, a tecnologia ERP (Enterprise Resource Planning) da solução, que já é utilizada globalmente, foi localizada no Brasil com foco em equipamentos e componentes – segmentos que sofrem mudanças constantes em função das demandas do mercado. A vertical do IFS Applications foi desenhada para atender esse tipo de exigência e a flexibilidade de seu sistema permite que suas configurações sejam adaptadas para qualquer modificação necessária, seja na área de design, engenharia, manufatura ou distribuição.
Outro diferencial apresentado é a capacidade de realizar a programação de estoques complexos, evitando que as mudanças ocorridas no mercado não causem prejuízo. A solução auxilia na redução de estoques, o que diminui as perdas ocorridas quando o mercado lança novos modelos de equipamentos e/ou componentes.

“Atualmente os inventários das empresas desse segmento representam 80% dos seus custos. Qualquer mudança tecnológica pode acarretar acúmulo de estoques, que perdem seu valor por obsolecência. Essa redução é uma das necessidades desse mercado que é plenamente atendida pelo IFS Applications”, comenta Allan Pires, diretor geral da Ifactus.
A aplicação é configurada para oferecer eficiência operacional, como aumento de produtividade com redução de custos – uma vantagem singular quando se lida com um mercado que é caracterizado pela competição agressiva de preços, a exemplo do que acontece com o segmento de aparelhos celulares. Essa também é ferramenta indispensável para aqueles que tem a “diferenciação de produtos” como estratégia. Além disso, a solução é programada para total integração e comunicação entre os parceiros comerciais, que vai desde os produtores, até as montadoras e os clientes finais, otimizando os processos existentes nessa cadeia.
“Muitas dessas empresas, seja pequena ou média, são fornecedoras de grandes companhias, por isso a qualidade na gestão de suprimentos é essencial para a sua sobrevivência”, esclarece Pires. O executivo ainda ressalta que a proposta de implementação de um sistema de gestão visa preparar essas indústrias para o crescimento, servindo como uma alavanca para atuarem no mercado externo e se tornarem empresas globalizadas. “Essas empresas têm que estar prontas para se transformarem fornecedoras mundiais de seus produtos”, finaliza.